As semelhanças entre "False Prophet", de Bob Dylan e "If Lovin' Is Believing", de Billy 'The Kid' Emerson

 Ian Berry, e a dança de um casal enquanto um homem se debruça sobre uma jukebox (1964). Foto está na capa do novo álbum de Bob Dylan

#
Por Márcio Grings

"Bons artistas copiam, gênios roubam" — a frase creditada a Pablo Picasso, e frequentemente utilizada por Steve Jobs, sempre me assalta o pensamento quando encontro paralelismos entre criações e suas inspirações. Esse post surgiu depois de uma mensagem enviada pelo amigo Cristiano Radtke na manhã deste sábado (9)

Imagem extraída de um livro de Phil Mason
Na verdade, o que a citação pretende retratar é que um grande artista 'rouba' inspiração, não o trabalho em si. Um gênio verá algo de belo na obra de outrem, e então entenderá como fazê-lo ainda melhor — adicionando um pedaço de si mesmo à tal. Love & Theft, my friend! Também lembro de "Estou com 25", poema de Gregory Corso — "E depois à noite na intimidade de suas casas / rasgaria suas línguas (...) roubando-lhes os poemas" — (da tradução de Ciro Barroso).  Sim, nada de novo sob o sol.  

Chegamos então a "False Prophet", um dos temas de "Rough and Rowdy Ways", novo disco de Bob Dylan que aporta às lojas no próximo dia 19 de junho. Primeiro falemos da inspiração de Dylan, uma antiga canção chamada "If Lovin' Is Believing'', Lado B do single "No Teasing Around", lançado em 1954 pela Sun Records. Quem compôs e gravou foi um músico chamado Billy 'the Kid" Emerson.

Saiba mais sobre "Rough and Rowdy Ways", 39ª álbum de estúdio de Bob Dylan



Emerson ganhou o apelido Billy The Kid depois de tocar num grupo onde os integrantes se apresentavam vestidos ao estilo dos fora-da-lei nos filmes de faroeste. Depois passou pelas Forças Armadas, atuando na Segunda Guerra Mundial e também no conflito da Coréia. Tocou com Ike Turner, Earl Hooker, Lonnie Brooks, Sonny Boy Williamson II e Robert Knighthawk. Estrelou temas solo pela Sun e outras gravadoras, escreveu composições que foram gravadas por Elvis Presley, Buddy Guy, Ry Cooder, entre outros. Desde os anos 1970 se dedica a canção gospel, época em que também começou a ser conhecido como Reverendo William R. Emerson.  Em dezembro, o velho Billy completa 95 anos.

Billy 'The Kid' Emerson
"False Prophet", tema lançado na última sexta-feira (6) por um dos mais conhecidos compositores da música internacional, ganhador do Nobel de Literatura em 2016 — "por sua inestimável contribuição para o surgimento de novas expressões poéticas dentro da grande tradição musical norte-americana”, é visivelmente espelhada em "If Lovin' Is Believing'', canção de Billy 'The Kid' Emerson. Mais extensa do que a original (a música ultrapassa os 6 minutos), há ênfase nas dinâmicas do guitarrista Charlie Sexton, que utiliza riffs mais controlados entre uma estrofe e outra. É um dos charmes da música, uma malandragem que certamente sobrepõe o tema original, mais linear. De todo o modo, Dylan não faz questão de esconder de onde advém sua inspiração. Não há relação entre uma letra e outra, mas temos praticamente a mesma linha melódida, emoldurada por outra história. No entanto, com 2min13 seg, "If Lovin' Is Believing'' tem o mesmo tom e andamento de "False Prophet", confessando essa inegável influência e ligação com o tema escrito há 66 anos. Seria um plágio ou recriação? Será que Bob Dylan irá creditar Emerson como coautor? Aguardemos cenas dos próximos capítulos. Lembre-se — "Os gênios roubam". Pelos três singles revelados, antes mesmo de ser lançado, "Rough and Rowdy Ways" possui credenciais para novamente colocar Bob Dylan no topo, no seleto grupo dos melhores álbuns de 2020.       

Comentários

Postagens mais visitadas