RBFS #3: dois finais de semana de rock e blues - saiba mais sobre as atrações musicais do evento

Arte: Pablito Diego (Há Cena)
Depois de edições em novembro de 2018 e março desse ano, o ROCK'N'BLUES FOOD STATION retorna no próximo mês de julho (Neo Autoposto na Avenida Dores, próximo a rótula do Fórum). E ampliando sua atuação, com assinatura da Budweiser, a 3ª edição, primeira de inverno, ganha palco e estrutura coberta, além de dois finais de semana - 5, 6 e 7 de julho, e 12, 13 e 14 julho, com a segunda semana ainda mais voltada ao rock, devido a comemoração do Dia Mundial do Rock no dia 13. 

Com fotos de Pablito Diego (Há Cena), confira a cobertura dos três dias de RBFS em março de 2019 - 29/1 - 30/3 - 31/3

Montado como espaço de entretenimento, durante o evento o público pode usufruir de opções de alimentação - com foco em comida de rua, além de cervejas artesanais. Como trilha sonora, apenas uma modalidade específica: boa música. No caso, muito blues e rock'n'roll! Essa reunião de forças entre food trucks, somada a importantes marcas de bebida artesanal, aliado a um casting de bandas/artistas locais envolvidos com a cena musical fazem do ROCK''N'BLUES FOOD STATION um evento perfeito para curtir com a família esse início de inverno.

Confirme participação no evento 

Segurança, estacionamento, banheiros, loja de conveniência e toda infraestrutura para o bom funcionamento das ações. Nos intervalos entre as apresentações, a seleção musical fica a cargo de Márcio Grings (Memorabilia). Outra novidade nessa terceira edição é a participação do Sebo Camobi, trazendo ao evento uma banca com LPs, memorabilia e livros dedicados à música.  

O ROCK'N'BLUES FOOD STATION conta com cobertura, produção de palco e assessoria de comunicação da Grings - Tours, Produções e Eventos e Há Cena Cultural. A realização é do Neo Autoposto.  

Confira a agenda completa de atrações e detalhes das bandas/artistas:

Julho, 5

Márcio Arend e Juliana Von Mühlen. Foto: divulgação
19h - Márcio Arend e Juliana Von Mühlen

Eles são um casal, fora e dentro dos palcos. Márcio Arend (violão) e  Juliana Von Mühlen (voz)  integram a banda Chromia, e juntos (ou separados), também participam de outros projetos autorais, tributos e grupos covers. Como dupla, prepare-se para curtir versões acústicas de clássicos do rock nacional/internacional. 

Guilty. Foto: Antônio Monteiro 
21h – Guilty

A Guilty fixa sua âncora no rock/pop internacional dos anos 1980/90, propondo um show versátil e repleto de hits. Sem amarras, o repertório pode recuar um pouco mais no tempo, passeando por canções de Janis Joplin, para em instantes revisitar um sucesso de Michael Jackson. 

Encerramento: 22h30

☆☆☆☆☆

Julho, 6

Pablo Pohlmann. Foto: divulgação
17h – Pablo Pohlmann

Pablo Pohlmann é um dos cavaleiros solitários da voz/violão no Centro do RS. Na paleta de cores – country, rockabilly, hard rock, releituras dos maiores clássicos do rock nacional/ internacional, além de canções de sua autoria. Atuando em bandas diversas, já gravou CDs e EPs. Seu trabalho mais recente é "One Heart, Two Hands, Six Strings" - ouça AQUI. Para as próximas semanas, Pohlmann está de malas prontas para a Europa, quando fará um minitour pelo velho continente. 

Kingsize Blues. Foto: Pablito Diego 
19h – Kingsize Blues

Quando o assunto é blues em Santa Maria, Kingsize Blues é a banda do momento. Com apenas sete meses de atividade - eles estrearam no RBFS em novembro de 2018 - o quarteto virou a bola da vez no blues daqui. Não por acaso. Formada por veteranos da cena local, a KB apresenta um repertório recheado de clássicos do gênero.    

Alicerce Liberal. Foto: divulgação
21h – Alicerce Liberal


Apesar de uma atuação sazonal, a Alicerce Liberal sempre ressurge com novidades. Formada em meados dos anos 2000, a banda aposta na fusão de ritmos regionais sem abrir mão das guitarras distorcidas. Além do trabalho autoral, promessa de também ouvirmos irreverentes releituras, uma das marcas registradas dessa rapaziada.  

☆☆☆☆☆

Encerramento: 22h30

Julho, 7

Fabricio Furia. Foto: Alice Rodrigues
17h - Fabrício Furia

Fabrico Furia é um dos heróis da resistência do rock local. Seja a frente da Crazy Diamonds (Especial Pink Floyd), como vocalista da Spit, ou soltando a voz num tributo a Pantera, o vocalista ainda encontra fôlego para tocar seu projeto voz e violão. No repertório, uma mistura de tudo aquilo que faz a sua cabeça, com destaque para releituras do rock internacional.  

Le Duc. Foto: Pablito Diego 
19h – Le Duc

Com um olhar no passado, mas um passo a frente da maioria das bandas, a Le Duc dispensa revisitações na atual e insossa geografia do pop/rock dos dias de hoje. A jogatina da Le Duc lança seus dados na velha e boa conjunção das décadas de 1960/70. Harmonias vocais, um repertório que passeia pelo folk, country e no bom rock que parece ter abandonado as rádios e paradas de sucesso.

Tavares Brothers. Foto: divulgação
21h – Tavares Brothers 

Formada por um grupo de irmãos de som e camaradagem, o Tavares Brothers foi montado para reviver grandes momentos do rock. Prepare-se para um mergulho nos clássicos da música internacional das décadas de 1970/80/90. 

Encerramento: 22h30

☆☆☆☆☆

Julho, 12

Adicionar legenda












18h20 – The Picafumus

Com foco nos clássicos do rock e com a energia da tríade baixo, bateria e guitarra, a Picafumus faz sua estreia no palco do Rock and Blues Food Station. Impulsionados por riffs de guitarras, o power trio promete entregar ao público uma série de hits que estão na boca do povo, permanentes refrões do autêntico rock'n'roll.

Poços & Nuvens. Foto: Pablito Diego 
19h40 – Poços & Nuvens19

A Poços & Nuvens é a mais longeva das bandas de rock surgidas ainda nos anos 1980 na Região Central. Após um hiato de três anos sem apresentações, o grupo retornou às atividades no ano passado, com nova formação e show no Planetário de UFSM, registro que será lançado em DVD. A Poços já fez abertura de shows internacionais, protagonizou gravações no centro do país e cravou participações em grandes festivais de rock progressivo na América do Norte.      

Pylla C14. Foto: Ernesto Sachett
21h – Pylla C14

Nada mais justo, o maior nome do rock santa-mariense retorne aos palcos no final de semana em que lembramos o Dia Mundial do Rock. O lendário frontman da banda Fuga, seguiu em frente e também consolidou uma sólida carreira solo, com destaque para "Lá de volta outra vez" (2015), seu último CD. Na apresentação do RBFS, Pylla promete um mix de clássicos da Fuga com temas que balizam a atuação do vocalista à frente da Carbono 14, sua banda de apoio.       

Encerramento - 22h15

☆☆☆☆☆

Old Bikers. Foto: divulgação
Julho, 13

15h15 – Old Bikers

Com oito anos de estrada, a Old Bikers é um sexteto que praticamente nasceu dentro da Associação Motociclística Gaudérios do Asfalto, de Santa Maria - RS. O grupo lança sua carta de intenções no repaginamento de sucessos do rock dos anos 1960/70/80.

Rafael Sehn. Foto: Pablito Diego
17h – Rafael Sehn

Rafael Sehn é um dos novos prodígios da guitarra no RS. Advindo do Vale do Taquari, o músico nascido em Venâncio Aires pode impressionar os desavisados. Depois de anos tocando e colaborando com os mais diversos artistas, ao vivo e em estúdio, ele acaba de lançar "Dedo na Moleira", seu EP de estreia. Através de estilos como o blues e o rock, o guitarrista encontrou na música instrumental o ambiente perfeito para se expressar artisticamente. 

Mamaquilla. Foto: arquivo pessoal M
19h – Mamaquilla

A Mamaquilla foi uma das bandas mais atuantes do cenário santa-mariense do início da década passada. Time que aposta no classismo do rock dos anos 1960/70, eles retornam aos palcos especialmente para essa apresentação no RBFS, após sete anos de inatividade. 

Devil's Throat. Foto: Mauro Castanho
21h – Devil’s Throat


A Devil's Throat está de volta ao palco do RBFS. Seja pelo “slap” do contra-baixo, ou pela vibração da Telecaster nos solos de guitarra, a quarteto traz aos palcos toda a rebeldia e intransigência juvenil da década de 1950. Com repertório baseado nos anos inicias do rock, o quarteto aposta suas fichas em arranjos baseados numa nova tendência - o wild rockabilly. 

Encerramento: 22h15

☆☆☆☆☆

Julho, 14

Brisocks. Foto: Mariane Frazon
16h – Brisocks


A Brisocks é uma das bandas mais antigas em atividade no cenário ligado ao punk/hardcore no Centro do RS. Certeza de ouvirmos mash-ups de temas autorais, no tradicional embalo 1-2-3-4, pouco papo e uma música colada a outra. 

Camaleão e Os Bichos do Mato. Foto: divulgação
17h10 – Camaleão & Os Bicho do Mato


Na trilha do hard rock e do stoner, com sombreamento no espírito do rock gaúcho, o primeiro disco da Camaleão & Os Bichos do Mato, homônimo, saiu em 2016. Numa atmosfera setentista, as músicas versam sobre temas, como opressão, política e corrupção, mas quase sempre buscando um tom irônico. O trio prepara novo trabalho para os próximos meses, e algumas das novas canções devem surgir no set da apresentação da banda no Rock 'n' 'Blues Food Station. 

Blazing Ram. Foto: divulgação
19h – Blazing Ram

O trio estreou recentemente em show no Plataforma 85. A participação no RBFS é apenas a segunda apresentação dessa banda que já está dando o que falar. O combustível que os move é o puro hard rock dos anos 1970, lados-B do gênero e pedradas que irão tontear o ouvinte menos atento.   

The Pie Country Band. Foto: Pablito Diego 
21h – Pie Country

A Pie Country Band lançou seu mini-álbum homônimo de estreia em 2018. A vereda dessa rapaziada leva até o espírito da música country de raiz, uma escolha que nos assombra com a fidelidade em que o grupo repassa essa intenção. Além das músicas autorais, chance do público do RBFS ainda conferir releituras de clássicos do rock. Numa época em que as boas canções e melodias parecem ter desaparecido do planeta, eis uma banda que merece ser descoberta.  

Encerramento: 22h30

☆☆☆☆☆

Comentários

Postagens mais visitadas