O Amador: ator Gabriel Braga Nunes estreia projeto musical no RS

Divulgação Infoglobo
Filho do diretor de teatro Celso Nunes e da atriz Regina Braga, Gabriel Braga Nunes é puro DNA artístico. Há quase três décadas, mantém uma sólida carreira como ator, território profissional em que protagonizou diversas peças, filmes, séries e novelas. Mesmo como artista reconhecido na dramaturgia brasileira, o rock nunca deixou de pulsar nas suas veias. Seja na juventude, quando chegou a montar alguns projetos musicais, até os dias atuais, período em que o artista ressurge musicalmente com o espetáculo O AMADOR, inspirado em sonetos de William Shakespeare, e cantado no idioma original do escritor.  

Se o combustível literário elisabetano alicerça a massa intelectual das 14 composições, o corpo sonoro faz ligação direta com o hard rock dos anos 1970. Leia review do EP E o RS receberá os show que divulgam esse novo projeto em Setembro. Estão confirmados shows em Passo Fundo (15), no Teatro do Sesc, e Santa Maria (16), no Theatro Treze de Maio. Mais detalhes em breve.    

Veja Vídeo com um breve trecho da adaptação do "Soneto 27" de Shakespeare.  



Sobre os sonetos de Shakespeare – por Gabriel Braga Nunes –

Ao longo da vida, Wiliam Shakespeare escreveu 154 sonetos. Não há muita informação sobre o contexto desses escritos. Por exemplo, não se tem ideia das datas em que foram produzidos. Até mesmo a ordem em que teriam sido publicados originalmente é motivo de discussão. Aliás, pouco se sabe sobre a própria vida de Shakespeare. Com isso, muitos estudiosos acreditam que os sonetos podem ser considerados a parte mais autobiográfica de sua obra. Talvez por que nestes sonetos Shakespeare surja despido das máscaras de seus personagens, e assim, nos apresente textos de conteúdo lírico, sem uma sequência estruturada.

Os sonetos jogam luz no amor e seus desdobramentos, e desse modo, falam da brevidade da vida, da transitoriedade da beleza, das armadilhas do desejo, da eternidade através da poesia e dos filhos, entre outros temas. E o sábio sujeito, que poderia dar conselhos, acaba submetido aos rigores da paixão, fica vulnerável, e se confunde com a coisa amada, como um AMADOR. Que ama, que faz por amor.


Fonte: Instagram GBN 
Confira (em texto) um dos sonetos explorados por Gabriel: 

SONETO 76 
Por que meu verso é sempre tão carente
De mutações e variação de temas? / Por que não olho as coisas do presente / Atrás de outras receitas e sistemas? / Por que só escrevo essa monotonia / Tão incapaz de produzir inventos / Que cada verso quase denuncia / Meu nome e seu lugar de nascimento? / Pois saiba, amor, só escrevo a seu respeito / E sobre o amor, são meus únicos temas / E assim vou refazendo o que foi feito / Reinventando as palavras do poema / Como o sol, novo e velho a cada dia / O meu amor rediz o que dizia.


(tradução - Geraldo Carneiro)


Divulgação
Sobre os AMADORES

Gabriel Braga Nunes - Composições, voz e guitarra.

Ator de teatro, TV e cinema. Na juventude, tocava guitarra e gostava muito. Chegou a ter algumas bandas. Mas acabou deixando de lado, para cursar artes cênicas na Unicamp e seguir carreira de ator. Com o avançar dos anos, sentiu falta de música, em especial, do hard rock dos anos 1970. Compôs riffs inspirados em bandas/artistas como Alice Cooper, Kiss e AC/DC, encaixou em alguns sonetos de Shakespeare, ligou para Lucas Hoffman e assim nasceu O AMADOR.

Lucas Hoffman – Baixo e voz de apoio.  

Músico, roteirista e comediante. Gaúcho, mudou-se para o Rio de Janeiro em 2012, onde trabalha com TV e cinema. Dirigiu para o Channel 4 britânico “The Last Leg”, vencedor do prêmio de Melhor Programa de Entretenimento no Broadcast Awards 2017. Obcecado pelos anos 1960/70, formou a banda de country-rock Pie Country Band, e agora também é um AMADOR. Comprou a junção de hard rock com Shakespeare e ligou para Fenando Oliveira e Leo Mayer.

Fernando Oliveira – Bateria.

Multi-instrumentista, a bateria foi o instrumento que o projetou, tocando hardcore na banda Barneys, e rockabilly, na Big Trep. Na Canastra, tocou guitarra e trompete, e na Go East Orkestar, trompete. Tocou guitarra em turnê com Mallu Magalhães. Hoje, toca bandolim e banjo na irish-punk Rats, e banjo na country Dirty Devil Band, e na dixieland Monte Alegre Hot Jazz Band. Toca ainda ukulele, acordeon, teclado e percussão, além dos instrumentos já citados, na banda de seresta-rock Reconquista. De tanto rodar, está de volta às origens, na bateria, como Amador.

Leo Mayer - Guitarra, produção musical e som local.

Músico e produtor musical. Começou a tocar guitarra aos 6 anos. Como profissional, aos 13. Aos 17 fez suas primeiras produções em estúdio. Aos 22 anos, mora em Santa Maria (RS) e já produziu mais de 60 bandas de rock. Atualmente é guitarrista nos grupos Pylla C14 e Hurricanes. AMADOR de hard rock e produtor musical do quarteto.

Confira como ficaram as versões de Gabriel Braga Nunes para os Sonetos 15, 27, 75 e 88. 
     

Comentários

Postagens mais visitadas