Portugal: começa nesta sexta-feira a 5ª edição do Faro Blues

Sidney Ellis & The Midnight Preachers, uma das atraçoes do Faro Blues 2018. Foto: site SE
#
Memorabilia faz cobertura fotográfica

Por Márcio Grings e Fabiano Dallmeyer

Se há poucos dias, Gouveia, pequena urbe localizada na província da Beira Alta, e sub-região da Serra da Estrela, a 300 km de distância de Lisboa, recebeu um dos mais importantes festivais de rock progressivo da Europa - o Gouveia Art Rock (saiba mais AQUI), dessa vez, 300 km ao sul da capital portuguesa, o blues é o gênero em evidência. Com cerca de 50 mil habitantes, Faro, capital da província de Algarve, é uma bela cidade litorânea que não apenas parece manter um permanente tratado com a beleza, mas também quer se conectar ainda mais a diversidade cultural. É lá que a 5ª edição do Faro Blues toma conta da capital do Algarve nos dias 18 e 19 de Maio, num dos festivais mais interessantes que passam a fazer parte do calendário anual de atrações em Portugal.

Com fotos de Fabiano Dallmeyer, Memorabilia faz cobertura.    

Divulgação
O Faro Blues é uma iniciativa da Blues A Sul - Associação de Blues do Algarve, uma organização sem fins lucrativos criada em 2016. Como objetivo principal, essa associação busca divulgar e promover o mais ancestral dos gêneros conectados a cultura pop.

E como explicar essa evidência do blues em Algarve? Primeiramente ligado  às comunidades afro-americanas no Sul dos Estados Unidos, há um bom tempo podemos dizer que o blues se tornou uma das mais cosmopolitas linguagens musicais. Tanto que a edição deste ano do evento apresenta bandas/artistas descolados geograficamente não apenas do imaginário coletivo do blues, como também do cenário arraigado as origens do gênero ou dos livros de história da música.

"O festival nasceu pequeno e hoje chegamos a nosso maior evento. Essa será a última edição no formato, pois com o apoio da Câmara Municipal, pretendemos fazer um evento de uma semana, fazendo de Faro uma cidade mergulhada no blues durante no mínimo uma semana do ano. Também planejamos oportunizar um maior número de atrações, a aprofundar integrações com a comunidade e bares locais", destaca João Godinho, um dos organizadores do evento e presidente da associação Blues A Sul.   

Ele também fala da ligação de Portugal com o blues, segundo ele, intensificada a partir de uma data emblemática para os portugueses: "O blues começou a ganhar mais espaço em Portugal após a Revolução dos Cravos, em 1974, quando houve uma proposital abertura para a cultura de fora. A partir daí, músicos como Rui Veloso, Jorge Palma e Sérgio Godinho começaram a introduzir elementos do blues em suas composições, e assim o blues passou a habitar parte do espírito português". Prova disso, é que atualmente o país é berço de um dos novos expoentes do blues/rock europeu, o cantor/guitarrista/compositor Vitor Bacalhau. Outro fenômeno é o crescente número de eventos anuais do gênero, que além do Faro Blues, ainda possui no calendário anual festivais como o Coimbra em Blues, BB Blues Fest, Santa Maria Blues, Villa Sessions, Nova Arcada Braga Blues, Wine & Blues Festival, Festival de Blues da Guarda, River Blues, entre outros. 

Os concertos nesta quinta edição estão distribuídos em dois palcos - o teatro Lethes (dias 18 e 19 a partir das 21h30) e o Palco Forum, no Forum Algarve (dia 19, às 17h30). São vários estilos de blues, desde o blues pesado e urbano dos The Ramblers (Portugal), Del Toro Blues Band (Espanha) e The Fried Fanekas (Portugal), até à sofisticação sonora de Quique Bonal & Vicky Luna (Espanha), além da cantora norte-americana Sydney Ellis, que se apresenta com sua banda, os Midnight Preachers, maestrina em evidenciar o flerte do blues com o jazz. 

Os tíquetes para conferir o Faro Blues podem ser adquiridos no Balcão de Informações do Forum Algarve, na Sardinha de Papel e na Casa d´Alagoa até a próxima quinta-feira (17), ou na próprio dia do evento.

Confira cobertura do evento aqui no Memorabilia.  

Comentários

Postagens mais visitadas