terça-feira, 11 de julho de 2017

Mês do Rock, final de semana com rock na Praça Saldanha Marinho

Pylla Kroth, artista homenageado no MDR. Divulgação
O projeto Mês do Rock, uma iniciativa da Grings - Tours, Produções e Eventos, com recursos captados via Lei de incentivo à Cultura de Santa Maria, está a todo vapor com uma série de ações, tornando Julho o mês mais roqueiro do ano na cidade. A cada terça-feira do mês, oito bandas se revezam no palco de bares (Vaca Profana e Boteco do Rosário). Além de som ao vivo dos grupos, desde o dia 3 (seguindo até o dia 20), oficinas acontecem no Sobrado Centro Cultural, na sede da TV OVO (Rua Floriano Peixoto, 267), sendo que no dia 21, um workshop de bateria será realizado na Musiartes (Rua Astrogildo de Azevedo, 91). E mais: a exposição fotográfica "A Cara do Rock de Santa Maria" segue até 31 de Julho (no Salão de Atos da SUCV), e como cereja do bolo 'roqueiro' - neste final de semana, sábado (15) e domingo (16), o MDR toma conta da Praça Saldanha Marinho com 13 bandas se apresentando no palco principal do projeto. O artista homenageado é Pylla Kroth, um dos nomes mais atuantes do rock santa-mariense nas últimas três décadas.  


Abaixo, confira as bandas locais que estrelam no palco principal do MDR e seus respectivos horários de apresentação. O evento ocorre nos dois dias a partir das 14, seguindo até 20h. Serão oito horas de som ao vivo.

CLIQUE no nome de cada banda (destaque em negrito) e confira uma faixa de cada atração.

Sábado (15) -


Litoral Mente. Divulgação
Formação: Ricardo Mônego (voz), Gregory Motta Brum e Alberto Neves (guitarras), Anderson Silveira (baixo), Heitor Gonçalves (percussão), Diego Giuliani (bateria). 

Surgida em 2013, começou sua trajetória inspirada em bandas como Sublime e outros grupos californianos. Em suas músicas, a Litoral Mente mescla gêneros como rock, reggae, ska, punk, hardcore, new metal, samba e funk soul. Depois de um EP de estreia em 2016, atualmente o grupo prepara seu primeiro álbum de inéditas (com provável lançamento  ainda em 2016). 


Velha Cortesã. Divulgação
Formação: João Pedro Costa (vocal e guitarra), Guilherme Gabbi (guitarra), Vagner Funck (baixo) e Felipe Rossini (bateria).

Na tentativa de promover uma justaposição entre ecos do passado e o som do bom rock independente atual, o quarteto santa-mariense Velha Cortesã propõe um resgate do melhor da música brasileira dos anos 1970, mas também explora texturas do rock britânico. Esse embrião pode ser conferido no EP "O Show do Mundo", lançado em 2016.

16h - Finita

Finita. Divulgação
Formação:  Luana Palma (vocal), Bruno Portela (guitarra),  Allison Back (baixo), Guilherme Gindri (teclado) e Fabrício Montenegro (bateria). 

Surgida em 2010, a Finita une uma voz lírico/gutural com o death, gothic e symphonic metal. Explorando o macabro, a natureza, filosofia e religião, em 2015 lançou seu 1º álbum, “Voices From Sanatorium”. Atualmente, ainda refletindo paridades com o som gótico e melódico, o quinteto está em fase de pré-produção do segundo CD. E o primeiro single, "Ascension", será lançado no evento.    


Transneptunia. Divulgação
Formação: Sávio Werlang (voz, acordeom e teclados), Maurício Castro (guitarra), Ícaro Sleifer (baixo e voz) e Edu Campos Neto (bateria). 

Da música tradicionalista ao metal, do space rock ao fusion, letras que relatam viagens interestelares - e com pitadas surrealistas - a Transneptunia também se conecta ao rock progressivo dos anos 1970. Essa mistura de ritmos e texturas pode ser conferida em "O Viajante", CD de estreia lançado em agosto de 2016 no Theatro Treze de Maio. 

18h - Spit

Spit. Divulgação
Formação: Fabrício Furia (voz), Luciano Schirmer e Márcio Arend (guitarras), Mateus Bortoluzzi (baixo) e Lucas de Oliveira (bateria). 

Riffs pesados de guitarra, vocal gutural, levadas do metal clássico dos anos 1980 e do trash metal. Surgida em 2012, em 2015 o quinteto lançou "Afterall", EP que fez barulho fora das fronteiras locais. Para o show no Mês do Rock, além do já conhecido repertório do grupo, no set novas músicas que devem estar no segundo EP da Spit (ainda sem data de lançamento).  


Human Plague. Divulgação
Formação: Dayvison Zambiazzi (vocal), Ricardo Gehling (guitarra), Cássio F. Lemos (baixo) e Carlos Armani (bateria). 

Desde 2011 a Human Plague é um dos nomes mais expressivos do death, black e trash metal local. Liricamente, a banda explora temas recorrentes como guerra e anti religião. Possui um EP lançado em 2013 e um single em 2015. No segundo semestre deste ano deve sair o primeiro álbum com 11 músicas. 

20h - Encerramento. 

*****

Domingo (16)


Alcoolfalantes. Divulgação
Formação: Thiago Duarte (voz), Rafael Sangoi (guitarra), Douglas Jamie (baixo) e Dirceu Athayde (bateria). 

Espelhados em bandas icônicas do rock gaúcho, da invasão britânica dos anos 1960 e do punk do final dos anos 1970, essa rapaziada busca encontrar fragmentos da essência do rock'n'roll. A grande novidade é que a Alcoolfalantes lança seu álbum homônimo de estreia no show de apresentação na Saldanha Marinho. CDs estarão disponíveis para venda no local.  

14h40 - Os Robsons

Os Robsons. Divulgação
Formação: Pablo Pohlmann (voz, guitarra, violão e harmônica), Flavio Mello (guitarra e voz), Robson Oliveira (baixo e voz) e Marcus Maffini (bateria e percussão). 

Em 2015 eles divulgaram o EP "Rock'n'roll Até Morrer", plataforma em que debutam um rock básico empurrado pela tríade guitarra, baixo e bateria. A banda articula para o segundo semestre um segundo EP, mas quem for a Praça Saldanha Marinho já poderá conferir novos temas como "Meu amor eu não ligo" e "Hey, hey, hey". 


Inseto Social. Divulgação
Formação: Flamarion Rocha (guitarra e voz), Vitor Cezar (guitarra), Valdecir de Matos (baixo) e Rogério Fenalti (bateria). 

Com 19 anos de estrada, a Inseto Social lançou seu CD de estreia em 2000, época em que ganhou a atenção da mídia local em virtude de sua energia e originalidade, alicerçada no terreno fértil do punk, hardcore e pitadas espertas de RAP. Em 2002, retornam com o EP "Ed Wood nunca ganhou um Oscar". O último álbum, “Keepin on Rocking”, foi lançado em 2013. 


Furia Rockpaulera. Divulgação
Formação: Bruno Vaz (guitarra e voz), Duda Barcelos (baixo) e Fabrício Ruivo (bateria).

Fundada em 1999, a Furia já lançou diversas demos, EPS e músicas onde a crítica social é tema onipresente. Ao longo dos anos, o grupo passou por várias fases e diferentes formações. Nas quatro linhas do palco, tarde para ouvir de hard core ao metal extremo, com o trio manipulando um som pesado, denso e coeso o qual autointitula 'rock paulera'. 


Camaleão & Os Bichos do Mato. Divulgação
Formação: Vitor Calegaro (guitarra e voz), Vinicius Brum (baixo e voz) e Cezar Nogueira (bateria). 

Percorrendo a trilha do hard rock e do stoner, o primeiro disco, homônimo, foi lançado em 2016. Numa atmosfera setentista,  as canções emulam temas atuais, como opressão, política e corrupção, mas sempre com um toque de humor, no sentido da superação - com o grupo provocando o ouvinte a fazer uma reflexão sobre a realidade. 


Vespertinos. Divulgação
Formação: Martim Ronsini (voz, violão e gaita), Alexandre Araújo (guitarra e voz), Igor Fuchs (baixo e voz) e Mateus Bonez (bateria).

Formada em 2013, a Vespertinos joga numa linguagem folk urbana e rock alternativa atual. Com dois registros oficiais (o EP homônimo e o single "Sem medo de ser sentimental / Mudança") e prestes a lançar o seu primeiro álbum, a banda aposta nas composições em português e roupagens sonoras que sublinham a temática lírica e despretensiosa das canções.

19h - Pylla C14

Pylla C14. Divulgação
Formação:Pylla Kroth (voz), Leo Mayer (guitarra), Marcelo Sartori (baixo) e Cezar Nogueira (bateria).

Pylla Kroth escolheu Santa Maria como pátria. Artista homenageado do Mês do Rock, o cantor/compositor alcança mais de 30 anos de serviços prestados ao rock. Seja como lendário vocalista da Fuga, banda ao qual gravou dois LPs, Pylla ainda continua imprimindo sua digital. Lançou em 2016 "Lá de volta outra vez”, um dos melhores discos de rock da década na cena local.

20h - Encerramento  

Nenhum comentário:

Postar um comentário