Supertramp: Entenda o principal motivo das divergências entre Roger Hodgson e Rick Davies

Os geniais Roger Hodgson e Rick Davies, principais compositores do Supertramp.  
#
Por Márcio Grings

Roger Hodgson, vocalista/tecladista/guitarrista/cantor e um dos principais compositores do Supertramp, retorna ao Brasil para sete shows em maio. As apresentações acontecem nas seguintes cidades e datas: Uberlândia - Arena Sabiazinho - 06/05/20; São Paulo - UnimedHall - 07/05/20; Florianópolis - Arena Petry - 09/05/20; Curitiba - Teatro Positivo - 10/05/20; Ribeirão Preto - Arena Eurobike - 13/05/20; Belo Horizonte - Km de Vantagens Hall - 15/05/20 e Rio de Janeiro - Km de Vantagens Hall - 16/05/20. Hodgson vem ao Brasil com a sua "Breakfast in America World Tour", que celebra o 40° aniversário do álbum "Breakfast in America" (1979). Hodgson, que no próximo dia 21 de março completa 70 anos, deixou o grupo em 1983, logo após o lançamento do álbum "Famous Last Words" (1982).  

Relembre a última passagem de Roger Hodgson por Porto Alegre (12/3/17)

No início dos anos 1980 
Um questionamento que ora ou outra pipoca em alguns sites reside num possível retorno do Supertramp a sua formação clássica de um dos mais amados grupos dos anos 1970/80. Em entrevista cedida ao site Undercover em 2010, o ex-vocalista e compositor do Supertramp, Roger Hodgson (que se apresenta no Brasil em março, dia 21 em PoA) revelou a origem de algumas dissidências entre ele e, Rick Davies, assim como Hodgson, vocalista e também compositor do grupo. Da mesma forma que a dupla Lennon/McCartney, todas as músicas do Supertramp foram registradas em nome de Davies/Hodgson, apesar dos mesmos só terem escrito uma única música realmente juntos, “School”, sendo que na maior parte das vezes, quem cantava o respectivo tema composto era o real compositor. Roger Hodgson é o criador dos maiores sucessos do Supertramp, temas como "The Logical Song", "Dreamer", "Give A Little Bit", "Breakfast in America", "It's Raining Again", "Take the Long Way Home" e "Fool's Overture".

Supertramp em sua formação clássica. Arte: reprodução
As divergências entre os dois não são recentes. Porém, fatos antigos foram revelados ao grande público somente nessa entrevista de Roger. Ao falar sobre o tour do Supertramp 70-10 (show que a banda levou para a estrada em 2010), ele aproveitou para “descascar” Rick Davies em diversos momentos.

O ponto fundamental da entrevista baseia-se em um acordo que teria sido feito entre Roger Hodgson e Rick Davies, na época em que o primeiro saiu da banda. Rick permaneceria com o nome “Supertramp”, mas não tocaria as canções de Roger em shows. Infelizmente (para Roger), foi um acordo selado apenas com um aperto de mãos e um olhar, e nada foi escrito. Rick teria cumprido o acordo na turnê do disco “Brother Where you Bound”, porém, incluiu várias canções de Roger na digressão subsequente.

Hodgson disse que confiou em Rick, já que foram colegas de banda por 14 anos, mas se sentiu imensamente traído ao perceber que suas músicas estavam sendo tocadas nos shows. Roger vive atualmente na Califórnia, e segundo ele, lá existe uma lei que considera tratos verbais como algo tão sério quanto por escrito. Apesar da possibilidade de processo, Roger diz que não pretende levar para esse extremo, pois manteve silencio sobre isso esses anos todos pensando no público, e não em Rick. Entretanto, o fato dele tocar em países pelos quais o tour do Supertramp eventualmente passa, com ambos os shows contendo as mesmas músicas, é para ele algo “ultrajante”.

Roger Hodgson. Foto Reprodução
Reiterando a admiração pelo compositor que é Rick Davies, Roger não entende o motivo pelo qual suas canções são readmitidas ao repertório da banda, já que Rick teria composto uma série de grandes músicas, várias delas hits conhecidos. “(...) muitas bandas saem em tour com apenas um ou dois hits. E ele (Rick) fez ‘Bloody Well Right’, ‘Goodbye Stranger’, ‘Rudy’, ‘Crime Of The Century’… Ele compôs grandes canções”, justificou.

Roger nunca tocou músicas de Rick em sua carreira solo, e diz que se o fizesse, isso o tornaria uma mera cover band. Mas o aspecto mais irônico disso tudo, é que Davies afirmava não gostar de várias composições de Roger. “Ele é um velho jazzista e bluesman. Lutou comigo como um louco por causa da música ‘Breakfast in America’. Ele odiou esse tema. E não sei por que ele a vem tocando. Eu tive que espernear por muitas das minhas músicas, simplesmente porque ele não gostava delas.”

Rick Davies. Reprodução
Mas o pior é que mesmo ofendido, Roger havia manifestado um interesse em participar do novo tour do Supertramp. Queria fazer isso pelo constante pedido dos fãs. Hodgson teria manifestado isso ao agente da banda, e sugerido a possibilidade de participar de  shows em algumas cidades. “Infelizmente, a reação me atordoou, porque ele refutou completamente essa possibilidade em uma entrevista". 

"Não vai acontecer. Isso não traz beneficio algum para o Supertramp, irá beneficiar apenas Roger Hodgson”. Roger ficou decepcionado. “Basicamente, eu somente queria fazer isso porque os fãs adorariam ver isso acontecer, seria a ultima chance de fazer acontecer e deixar o público feliz. É triste que duas pessoas tão próximas não possam mais se conciliar. É contraditório, pois nossa musica supostamente foi feita para manter as pessoas unidas”, disse. Por outro lado, Rick Davies nunca se pronunciou oficialmente sobre esse embate entre os dois.  

Em uma atualização de status, o Supertramp com Rick Davies está parado desde abril de 2015, quando Davies se retirou de cena para tratar um câncer. Em 2016, Carl Verheyen, atual guitarrista do Supertramp, declarou ao site Logical Web que  Rick já estava praticamente recuperado de sua doença. Novas datas e novidades devem ser anunciadas em breve. É o que diz um comunicado no site oficial da banda. 

Comentários

  1. Davies é simplesmente genial, e se Roger desde o início concordou em assinar ambos as autorias, me parece no mínimo estranho a reivindicação. Além do mais muito tendenciosa essas publicações, ainda porque normalmente são feitas por pessoas que declaradamente são fanáticos por Roger Hodgson. Mas na minha opinião, adoraria que nunca tivessem se separado, adoro o talento dos dois porém prefiro o Supertramp entregue a genialidade de Rick Davies.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fantástica sua resposta " Fish " ! Você abordou de forma verdadeira e real. Rick é extremamente criativo musicalmente, enquanto Roger com musicas incriveis, é mais comercial, e pelo lado pop. Claro , como fãs dessa extraordinária banda, queremos vê-los juntos novamente. Concordo também que o apelo que as músicas do Roger trazem, o fazem ter muito mais fãs que Rick, e por isso o fogo cruzado tende a cair mais em Rick. Tirando isso de lado, torcemos para que voltem e juntos são melhores !!!

      Excluir
    2. AMIGO O RICK DAVIES TEM QUE COMER MUITO FEIJÃO COM ARROZ PARA SE COMPARAR AO ROGER !!!

      Excluir
    3. Sim mas cade o Supertramp pós Rodger. simplesmemte não existe

      Excluir
    4. Caro fish, lendo agora sua publicação, vejo que o fanatismo bateu tbm em vc, sim, assinaram todas as músicas, mas se fizeram um acordo verbal, pq não cumprir, o desacordo de ambas as partes sempre foi destacado na mídia, tudo bem que realmente não sabemos o q se passava, se havia um bom ou um ruim mas, concordo qdo menciona que adoraria q nunca tivessem se separado, porém, prefiro o talento de Roger.

      Excluir
    5. Márcio Grings - Sou fã de Hodgson e Davies, essa matéria na verdade faz um apanhado de algumas declarações, com foco na entrevista de 2010, onde Hodgson fala sobre o tema. Como Davies não se pronuncia sobre o episódio, temas apenas uma visão dos fatos. Atualmente, sei que Hodgson já superou esse perrenge e toca sua carreira isoladamente. Aguardemos um retorno do Supertramp com Davies. Abraço.

      Excluir
    6. Briga inútil, tempo perdido, isoladamente, não são melhores que a antiga banda - esta história deveria ser conhecida e contada até nas escolas como exemplo de erro de decisão!

      Excluir
    7. Roger Hodgson é Rick Davies simplesmente fizeram um pacto pra acabar com o Supertramp. Não assisto nem Davies tampouco Hodgson solos. Escuto o Supertramp em lps. Muito bom!

      Excluir
  2. É triste ver duas carreiras tão prósperas terminar assim quando se deixá o orgulho falar mais alto é isto quê acontece nada que uma boa conversa frente a frente não resolvesse pena mesmo adoro o SUPERTRAMP!

    ResponderExcluir
  3. O que foi relatado não explica a saída de Roger do Supertramp.

    ResponderExcluir
  4. Em seus pronunciamentos Roger Hodgson tem se mostrado muito
    coerente .Quando questionado ele
    tem falado sobre os fatos e me pa
    rece sincero .Não tem ressentimen
    tos .Acordo por acordo , se foi deli
    berado entre eles que o Rick não
    tocasse musicas do Roger em seus
    shows , ora que ele cumpra o que
    foi tratado .A meu ver não é a au
    toria das musicas que está em ques
    tão .

    ResponderExcluir
  5. Roger Hodgson tem se mostado
    muito coerente e sensato em seus
    pronunciamentos .Sempre que questionado ele tem dado declara
    ções brandas, sem nenhum ressen
    timento para com seu parceiro e me deixa a impressão de muita sin
    ceridade .Acordo por acordo, o Rick que cumpra o que foi por eles decidido, ou seja ele não tocar
    as musicas do Roger em seus shows .A meu ver não é a autoria
    das musicas que está em questão.

    ResponderExcluir
  6. sou fã dos dois. pena não acontecer essa reunião. eu acho que o supertamp ganharia sim. é uma banda com um repertório maravilhoso e os dois tocam e cantam muito bem.. as músicas de ambos se complementam..

    ResponderExcluir
  7. Não acho Roger Hodgson assim tão genial. Genial é mesmo Rick Davies. O Roger Hodgson é muito comercial. É bom compositor, mas muito comercial. Já o Rick Davies é um compositor extraordinário e genial. De um modo geral o Supertramp valia mesmo pelo talento de Rick Davies e Roger Hodgson que eram a alma dessa extraordinária banda.

    ResponderExcluir
  8. EU QUERO O SUPERTRAMP COMPLETO DE VOLTA

    ResponderExcluir
  9. Adoro Supertramp! Quando eles vem fazer shows no Brasil?

    ResponderExcluir
  10. Adoro Supertramp! Quando eles vem fazer shows no Brasil?

    ResponderExcluir
  11. Novamente em BH em maio de 2020. Estarei lá.

    Pena que é apenas hodgson

    ResponderExcluir
  12. E eu que passei anos, pensando que eles eram irmãos! rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  13. Gosto de ambos
    São fantástico!
    💕

    ResponderExcluir
  14. Se foi feito um acordo onde Hodgson abriu mão do nome clássico da banda em troca de Davies não utilizar as canções compostas pelo ex parceiro, houve aí uma traição e quebra de confiança nas relações entre os dois. É inegável que os grandes hits da banda são de autoria de Hodgson.

    ResponderExcluir
  15. Se foi feito um acordo onde Hodgson abriu mão do nome clássico da banda em troca de Davies não utilizar as canções compostas pelo ex parceiro, houve aí uma traição e quebra de confiança nas relações entre os dois. É inegável que os grandes hits da banda são de autoria de Hodgson.

    ResponderExcluir
  16. Pra mim não tem comparação o Roger Hodgson é onfinitamente melhor

    ResponderExcluir
  17. Sou muito fã dos dois, assim como de toda a banda. Batera e baixo sempre formaram um coração único e as histrionices do Hellywell sempre deram novo sabor às músicas e exibições ao vivo. Tudo sob a batuta jazzística genial do Rick e o faro pop e a genuína capacidade mágica de compor e falar com as estrelas do Roger, que, claro, não são extraterrestres, são seres humanos, complexos, vaidosos e carentes, como todos nós... e, infelizmente, acredito que separados eles nunca vão igualar aquela química. Acredito também que ambos não souberam, ou não se esforçaram o suficiente, pra reconhecer as genialidades um do outro, independente do sucesso ou do que vendiam uma vertente ou outra das canções. Sem dúvida, as músicas de Roger foram mais importantes pra projetar o Supertramp tão longe, mas sem as de Rick, talvez Roger não se sobressaísse dos tantos compositores que buscavam estourar naqueles lisérgicos anos 70. Acho, por exemplo, as músicas de Roger contatos com a perfeição de uma linguagem, um dos que mais perto chegou do toque de Midas de um Paul McCartney, mas as músicas que mais admiro, como exemplos de mediação entre codificação cancioneira e originalidade são, talvez em maioria, as do Rick, como From Now On, Rudy e Bloody Well Right entre outras, sendo Crime of the Century sua obra prima, um pouco acima de Fool's Overture, do Roger e Scholl, que não pode deixar de ser citada como a única parceria real dos dois.

    ResponderExcluir
  18. Além de tudo o que foi relatado, parece ter havido influência da esposa do Rick, que era empresária da banda, após a saída de Roger. Para mim, o Supertramp acabou com a saída do Roger. Ficou pior (e feio) com um músico fazendo o falsete deste, ao vivo. Roger tem a personalidade mais "de boas", solta, tranquilo e calmo. Isso se reflete na diversidade de estilos que abrange e instrumentos que toca, em suas músicas. Sem deixar de reconhecer o talento de Rick, este fica em um ambiente musical mais "fechado", restrito, por assim dizer. Eu consigo ouvir o Supertramp pós-Roger. Mas sabendo que poderia ser melhor. Finalizando, há uma entrevista de Roger - eu tinha em algum lugar aqui -, na qual ele relata ter ficado feliz, quando viu que a maioria das 32 músicas de Retrospectacle, coletânea de 2005 (já?!?!?), era de sua autoria - contando as de quando ainda estava na banda.

    ResponderExcluir
  19. Gosto muito da obra da banda, das compostas tanto pelo Davies como as do Hodgson, no entanto, são as composições deste último as mais inspiradas, aquelas mais consistentes que permanecem mais, por várias gerações. Se separarmos as 20 mais marcantes da obra da banda, no mínimo 15 serão do Roger.

    ResponderExcluir
  20. Não tem mais graça sem a formação original, principalmente com Davies e Hodgson separados!

    ResponderExcluir
  21. O Supertramp perdeu sua identidade com a saída de Roger, hoje ele se superou era a Alma da banda e continua cada vez melhor, Rick fez boas músicas mas nunca mais decolou...

    ResponderExcluir
  22. Na realidade quem fundou a banda foi o Rick Davies.
    E cabe a ele decidir quem entra e quem sai. E Roger saiu porque quis. E estragou a própria carreira.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas