Blues Session com Daniel Rosa Trio no Theatro Treze de Maio — o bom filho à casa torna

Foto: Daniel Jardim
Por Márcio Grings

Muitas pessoas não entendiam o que acontecia no início do século em Santa Maria: por que bandas de blues proliferavam por aqui? Qual seria a ligação entre o arroio Cadena e o rio Mississippi? E mais — na época, o saudoso Coyote Bar, localizado no Rua Ângelo Uglione, promovia a lendária Terça Blues, evento que invariavelmente conseguia lotar a casa em plena terça-feira, um fenômeno a ser considerado até hoje. Por lá, tocavam músicos e bandas como Big Fat Woman, Red House, Paulo Noronha & Os Watts, Celso StreitLappan, Maloca Blue, Lenha Seca, Artur Aguiar & Os Colhedores de Algodão, entre outros. O sucesso foi tanto, que logo surgiu um novo espaço para o blues — o Sanduba Café Bistrô, no térreo da Galeria Gaiger. No entanto, foi outro evento que consagrou o gênero na cidade — o Cesma in Blues, mini festival realizado pela Cooperativa dos Estudantes de Santa Maria (Cesma), que teve nove edições e trouxe até à cidade nomes do blues nacional e internacional. Contudo, todos que viveram essa época, certamente lembram do guitarrista Daniel Rosa, um dos artistas tipo-exportação do improvável fenômeno do blues santa-mariense, que viveu naqueles dias sua década de ouro, incluindo ainda programação em bares como Absinto, Rota 1 e outros tantos, que trouxeram até aqui shows de Eddie C. Campbell, Willie 'Big Eyes' Smith, Phil Guy etc. 

Foto: Divulgação Facebook

Na verdade, anos antes, ainda nos anos 1990, o terreno já havia sido adubado, partindo da influência de bandas locais — Blues Station e Hightime Blues, além de shows com grandes expressões nacionais do gênero como Fernando Noronha, Blues Etilicos e Big Allanbik. Até um fanzine local, com tiragem de 250 exemplares circulava pelos botecos e universidades — o Conexão Blues, editado por apaixonados pelo tema. Mas voltando a Daniel Rosa, a boa nova é seu retorno a Santa Maria para um show totalmente dedicado ao blues, algo que não acontecia há quase 15 anos. Fora do centro do Estado desde 2005, quando se mudou para Porto Alegre, o atual guitarrista da Black Cat confessa estar feliz em voltar ao blues: "tocar blues é uma missão que eu não posso deixar de lado", disse ao Memorabilia. 

 Foto: Alexandre Godinho 

Para quem já foi Daniel Rosa & Saturno Blues, Saturno Groove ou  Saturno Experiment, o atual Daniel Rosa Trio (sempre no formato de power trio) conta com Daniel Rosa (voz e guitarra), Luciano De Leon (baixo) e Ricardo Vivian (bateria). No repertório do show Blues Session, a ser realizado no próximo dia 17 de agosto, às 20h, no Theatro Treze de Maio (mesmo local que foi palco do primeiro Cesma in Blues) o grupo irá reler clássicos de Freddie King, Otis Rush, Muddy Waters, Stevie Ray Vaughan e Robert Johnson, além de outras revisitações. Para quem não conhece a pegada de Daniel, ele é totalmente influenciado pela tríade dos King (Albert, Freddie e B.B.), além de reforçar o ligação com o rock, permanentemente emulando à lembrança de Jimi Hendrix, o que pode parecer um exagero, mas não é. A apresentação ainda conta com a participação de Paulo Noronha (Rinoceronte), um dos paladinos do gênero aqui na cidade. Os ingressos (R$ 30 e R$ 15 1/2 entrada) podem ser adquiridos pelo site da Sympla. Blues Session é o segundo espetáculo do projeto cultural Tributos, financiado com com recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria.  

Direto do túnel do tempo, relembre aqui a versão de Daniel Rosa & Saturno Blues para "Goin' Down" (Don Nix).     

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas