Uma playlist para o Gaúcha Hoje

A.C. Macedo. Divulgação

| Por Márcio Grings |

Existem convites irrecusáveis. Recebi um desses chamados na semana passada, e veio de Antônio Carlos Macedo, âncora do Gaúcha Hoje. Aos desavisados, estamos falando de um dos programas mais ouvidos do rádio no Rio Grande do Sul, apresentado por um dos gigantes do jornalismo gaúcho. Todos os dias, de segunda a sexta, entre uma notícia e outra, em meio a participações dos repórteres e informações sobre a previsão do tempo — das 5h da manhã até às 8h —, Macedo toca trechos de canções e tematiza essa trilha-sonora com vários gêneros musicais. Toda quarta-feira é Dia de Rock no Gaúcha Hoje e, desse modo, muitas vezes madrugo para escutar o programa, geralmente ainda debaixo das cobertas e com o rádio baixinho para não acordar minha esposa. 

Conheça Quando o Som Bate no Peito, livro que traz 34 resenhas de shows internacionais que passaram pelo Rio Grande do Sul

No ano passado, quando lancei "Quando o Som Bate no Peito" (2021), através de uma aproximação feita pelo amigo Lauro Alves, fotógrafo do Jornal Zero Hora, Macedo colocou o livro em destaque e fiz uma playlist especial para o programa, com direito a um comentário de Daniel Scola, que assim como o apresentador do Gaúcha Hoje, é apaixonado pelo mundo do rock and roll. Ouça no player abaixo trechos do programa — a playlist completa você ouve AQUI

 

Então, na semana passada recebi um novo convite do apresentador: "A ideia é usar teu conhecimento para pinçar pérolas que os ouvintes desconhecem ou já esqueceram. Topas?", escreveu o jornalista. Como já disse — existem convites irrecusáveis. Dessa provocação — em trazer para os ouvintes músicas não usuais na programação das rádios, mas sem se descuidar do lado pop — surgiu a playlist (postada aqui com breves comentários) que tematizou o Dia do Rock na Rádio Gaúcha nesta quarta-feira (8). 

Obrigado pelo convite, Macedo!   

Ouça trechos do Gaúcha Hoje de 8 de junho de 2022.

........................

1 - U2 + JOHNNY CASH — “THE WANDERER”  

"The Wanderer" está em “Zooropa” (1993), e é uma das poucas músicas do U2 sem Bono no vocal principais. No lugar dele está Johnny Cash. A letra é baseada no Livro de Eclesiastes (do Antigo Testamento) e seu narrador vaga por um mundo pós-apocalíptico "em busca de experiência", esperando encontrar um sentido para a vida. 

2 - GRATEFUL DEAD — “BLACK MUDDY RIVER”

Há um culto envolvendo o Grateful Dead, tanto que os fanáticos fãs do grupo são designados de deadheads. Fundada nos anos 1960 por Jerry Garcia, morto em 1995, o Dead produziu uma obra repleta de clássicos. "Black Muddy River", a última faixa de “In The Dark” (1987), traz uma das mais belas baladas de Garcia, aditivada por uma letra poética de Robert Hunter.  

3 -THE UNDERTONES — “TEENAGE KICKS”

O movimento punk dos anos 1970 revigoraram a música pop nos dos lados do Atlântico, levando o rock de volta pra casa, direto para a simplicidade de uma boa canção. John Peel, conhecido DJ da BBC Radio 1, declarou que "Teenage Kicks" do grupo irlandês The Undertones era sua música favorita de todos os tempos.

4 - ELTON JOHN —  “BALLAD OF A WELL-KNOWN GUN

Quem quiser conhecer o verdadeiro Elton John, precisa mergulhar na sua discografia dos anos 1970, e  “Tumbleweed Connection” (1970) é uma porta de entrada para essa incursão. Elton John e seu letrista Bernie Taupin buscavam alinhamento com o espírito do rock norte-americano daquela virada de década, e “Ballad of a Well-Known Gun” alcança esse objetivo com louvores.     

6 - ACE FREHLEY — “NEW YORK GROOVE”

Em 1978 todos os integrantes do Kiss gravaram álbuns solo separados. É uma unanimidade, o único que obteve reconhecimento de público e crítica foi o LP do guitarrista Ace Frehley. “New York Groove”, uma música do compositor Russ Ballard, se tornou um sucesso radiofônico que chegou ao 13º lugar na Billboard Hot 100.  

7 - ELVIS PRESLEY — “NEVER BEEN TO SPAIN”

Na maioria das vezes a crítica especializada diz que o verdadeiro Elvis, com qualidade artística, só existiu nos anos 1950. Além de discordar, acredito que nos anos 1970 ele encontrou um novo estilo, próximo à soul music. “Never Been to Spain” é uma música do grupo norte-americano Three Dog Night. A versão de Elvis é imbatível e precisa ser relembrada.  

8 - FREE — “ALL RIGHT NOW”

Nos anos 1970, bandas inglesas de qualidade proliferavam. Com uma irritante frequência o Free é esquecido nas retrospectivas de rock. Paul Rodgers é mais celebrado pelo seu trabalho no Bad Company do que pelo Free, uma injustiça com a brilhante trajetória do grupo. Além disso, em “All Right Now", Paul Kossoff é o autor de um dos riffs de guitarra mais icônicos de todos os tempos.   

9 - CRAZY HORSE — “I DON’T WANT TALK ABOUT IT”   

“I Don’t Want Talk About It” fez tanto sucesso na voz de Rod Stewart, que muitas pessoas não conhecem a canção original gravada pelo Crazy Horse, composta e cantada por seu compositor, Danny Whithen. O Crazy Horse é uma das bandas de apoio de Neil Young em seus discos e Danny Whithen morreu de overdose de drogas poucos meses depois do lançamento desta música.  

10 - THE ROLLING STONES — “DOOM AND GLOOM”

Com 60 anos de história é óbvio que algumas músicas ficam esquecidas até mesmo pelos fãs mais ferrenhos. Há 10 anos, quando os Rolling Stones comemoravam 50 anos, “Doom and Gloom” era uma das novidades de “Grrr” (2012), uma coletânea comemorativa. Trata-se de uma das melhores músicas dos Stones neste século.   

11 - THE KINKS — “LOLA”

Escrita por Ray Davies, a música do The kinks foi inspirada numa transexual de Paris. Indisposta a merchandisings, a faixa foi censurada pela BBC – pois a emissora alegou que a palavra ‘Coca-Cola’ era propaganda gratuita, obrigando os músicos a mudarem a letra. Isso não impediu que o single colocasse o Kinks de volta ao topo das paradas e se tornasse um clássico do rock.   

12 - EAGLES — “TAKE IT EASY”

Os Eagles nunca alcançaram no Brasil o sucesso obtido no seu país de origem. Frequentadores da lista dos artistas que mais venderam em todos os tempos, por aqui, já ouvi eles serem chamados de ‘banda de uma música só’, graças ao sucesso estratosférico de “Hotel California”. “Take it Easy” é prova de que há mais ingredientes no caldeirão dos californianos.

13 - THE FIREMAN — “SINGS THE CHANGES”

The Fireman é um projeto de Paul McCartney com o músico britânico Youth, um dos fundadores do Killing Joke. Indo do rock à música eletrônica, em duas décadas já gravaram juntos três álbuns. “Sing the Changes” é uma das colaborações mais vitoriosas da dupla, e fez parte do setlist do show de Paul McCartney no Beira-Rio em 2010.

13 - THE HONEYDRIPPERS — “SEA OF LOVE”

The Honeydrippers foi formado por Robert Plant após o fim do Led Zeppelin. A banda contou com participações de Jimmy Page, seu companheiro na antiga banda, mais o guitarrista Jeff Beck, Brian Setzer, do Stray Cats e Nile Rodgers, do Chic. A banda gravou um único álbum, e "Sea of Love" se tornou o maior sucesso desse projeto de vida curta.    

14 - PESO — “NÃO FIQUE TRISTE”

A banda cearense O Peso é um tesouro perdido do rock brasileiro. Eles só lançaram um álbum de estúdio, “Em Busca do Tempo Perdido” (1975), mesmo ano em que se apresentaram na primeira edição do Hollywood Rock, dividindo o line-up com artistas como Erasmo Carlos, Raul Seixas e Rita Lee. “Não Fique Triste” é a grande balada dessa rapaziada de Fortaleza.

Comentários

Postagens mais visitadas