10 motivos para não perder o show do Saxon em Porto Alegre


Divulgação
Por Márcio Grings


Falta muito pouco para o primeiro encontro do público gaúcho com o grupo inglês Saxon. O Thunderbolt tour chega a Porto Alegre com show no Opinião. Aos desavisados, e no intento sacana de colocar aquela pilha nos indecisos, enumeramos alguns detalhes e peculiaridades que revelam o quão imperdível será a apresentação de Biff Byford e sua trupe no próximo dia 13 de março.        

1 - Lenda do heavy metal -

Poucas bandas podem condensar em seu repertório e atitude às insígnias mais virtuosas de um gênero. No caso do heavy metal, é claro que o Saxon não foi o inventor da fórmula, não estamos falando de um detentor exclusivo do modelo musical e da chave do cofre, até porque o metal se desdobra em dezenas de vertentes. Porém, surgida como uma das bolas de fogo do New Wave of British Heavy Metal, ao lado de Iron Maiden e Def Leppard, o Saxon é uma das mais importantes bandas ligadas ao rock pesado a caminhar pelo Planeta Terra na primeira metade dos anos 1980. E vale a lembrança: essa é a primeira vez dos ingleses no RS!          

2- Biff -

Imagine-se na pele de um vocalista de metal por mais de 40 anos? Aos 68 anos, Peter Rodney Byford, ou Biff Byford, como se tornou conhecido no mundo artístico, continua com a garganta intacta e tão potente quanto nos anos inciais do grupo. Além de grande performer, o velho Biff é a cara e a alma do Saxon, pois ao lado do guitarrista Paul Quinn (67), são os únicos remanescentes da formação original. 
    
Divulgação
3 - Ao vivo, uma banda que se renova -

Aquela história: quantas bandas/artistas podem revelar suas fraquezas ao vivo? Lembrem-se da recente constatação de que Paul Stanley está dublando a própria voz em alguns trechos do atual tour do Kiss. Essa ducha de água fria não nos visita no grupo inglês, seja com seu vocalista, ou até mesmo pela força do time de instrumentistas, a experiência de assistir Saxon ao vivo ainda pode impressionar os amantes de gênero. Tudo que rola no palco é real!    

4 - formação -

O show no Opinião já é o 16º do ano. Além de Byford e  Quinn, também está no time o baterista Nigel Glockler, nas fileiras da banda desde 1982. Entre idas e vindas, desde 2005 Glockler, 66 anos, fixou território como comandante das baquetas. Já Nibs Carter (baixo), 52 anos, completa exatas duas décadas de atuação no grupo. E por último, Doug Scarratt (guitarra), 59 anos, é membro da banda desde 1995. Em suma, essa é uma das formações mais estáveis do  Saxon, quinteto que nos entregará um dos mais fantásticos shows de metal de nossas vidas.   

Divulgação
5 - Ainda há ingressos à venda -

Já em seu terceiro lote, ainda há ingressos à venda. Ou seja: corra até o site oficial de vendas e garanta o seu tíquete. COMPRE AQUI parcelado em até 10X 

6 - Setlist -

O setlist da Thunderbolt Tour 2019 é praticamente perfeito - clássicos da era de ouro da banda nos anos 1980, mesclados ao melhor do Saxon da década de 1990, chegando até os dias atuais. Certeza de presenciar ao vivo números impressionantes como "747 (Strangers in The Night)", "Wheels of Steel", e "Strong Arm of The Law". Ouça o provável setlist pela ordem de apresentação AQUI

Divulgação
7 - Show para quem gosta de guitarras -

Uma das principais características do Saxon sempre esteve na camada de guitarras e os consequentes riffs dobrados entrincheirados nas aberturas e solos das músicas. Paul Quinn e Doug Scarratt representam esse legado com propriedade e maestria. Quinn, como criador de muitos dos temas clássicos da banda, Scarratt, já há quase 25 anos um integrante fidedigno dessa intenção e resultado.  Juntos, essa dupla soa como uma potente parede de guitarras.   
    
8 - Local do show -

Assistir a um show no Opinião é sempre especial. Qualquer perspectiva de um espectador não nos furta de uma visão próxima. A chance de ver muito de perto uma banda do quilate do Saxon é uma espécie de território dos sonhos de qualquer amante da música.

Divulgação
9 - O Saxon entrega o show dos sonhos aos amantes do metal - 

"Para mim, heavy metal é a mentalidade, o jeito que a música é tocada e escrita para soar 100% de seu potencial", disse Biff Byford em entrevista ao jornalista Homero Pivotto Jr. Duas guitarras, baixo e bateria - um grande frontman, um brilhante repertório que cintila na história do heavy metal. Alguém tem dúvida que será histórico? 

10 - Não vá se arrepender -

Depois você vai ler o review do espetáculo, ouvir os comentários dos amigos, ver a repercussão na internet e provavelmente se pergunte: “Por que não fui ao show?”. Eu não tenho a mínima ideia... No meu ponto de vista, se você é um amante do heavy metal só existe um local possível de se estar na noite da próxima quarta-feira.  Nos vemos por lá. 

Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas