Seja bem-vinda, Lua da Colheita!

Lua da Colheita. Reprodução 
Nesta segunda-feira (24), por volta das 4h da manhã, a Lua segue seu ciclo natural em 2018 e passa de crescente a cheia. Astrologicamente falando, é quando o satélite natural da Terra entra na fase cheia em Peixes, livre de pressão, unida a Netuno e em ótimo aspecto com Plutão, assinalando dias de encerramentos e transformações. Associada à plenitude de todas as coisas, é como se a semente germinada crescesse e chegasse ao seu ponto máximo de expressão. Intimamente relacionada e à transformação das emoções, é uma fase que pode ser usada para a realização profissional e amorosa, assim como para atingir alegria, saúde, sucesso e prosperidade.

Já a Harvest Moon (Lua da Colheita), assim batizada pelos índios norte-americanos por ser a lua cheia do mês de setembro, demarca o início do outono e de algumas colheitas no Hemisfério Norte (início da primavera por aqui). Em consonância a essa crença, os colonizadores e agricultores também a chamavam assim, pois essa lua permitia a colheita durante a noite, numa época em que não existiam modernas máquinas que auxiliavam no processo da safra e onde era preciso que a colheita fosse feita no período mais correto possível.

A Harvest Moon tende a ser maior e mais colorida do que outras luas do ano. Isto acontece devido à inclinação da terra e às reflexões da atmosfera. Também é chamada como a Lua do Vinho, pois é tempo de Vindima, quando as uvas estão no ponto para serem colhidas. Ainda na cultura pagã, é chamada de Moon Singing, pois se trata da lua cheia que antecipa outubro, mês do Dia das Bruxas. Por causa da ilusão da mudança de cor (ela fica mais alaranjada), os chineses também a chamam de Lua do Crisântemo, e os espanhóis de Lua Gitana. Já os celtas usariam a Lua da Colheita para marcar o tempo antes de Samhain, festival em que se comemora a passagem do ano dos povos indo-europeus. Para algumas culturas ancestrais, a Lua Cheia de setembro também demarca o fim do ano velho e o começo do ano novo. Os nórdicos perceberam que a Lua da Colheita era muitas vezes a lua cheia inaugural logo após a primeira geada das estações de inverno, com isso, há uma crença de que essa seria a lua mais poderosa do ano.

Dentro desse contexto e retrospecto, a todos os sementeiros, lanço os votos de uma boa Lua da Colheita! É tempo de colher os frutos que plantamos. Para quem procura uma trilha sonora apropriada, nada melhor que ouvir "Harvest Moon", álbum de Neil Youg lançado em 1992. Inspirada nessa temática inicial, parte das letras de “Harvest Moon” versam na questão ambiental. No entanto, o tema prioritário é o confronto inocência versus cinismo, sem resvalar num mero exercício nostálgico. Eis uma de suas obras-primas.

Ouça na íntegra. Saiba mais sobre o álbum AQUI
    

Comentários

Postagens mais visitadas