Entrevista: em "Baixar Armas", Duca Leindecker mantém intacta sua fé no futuro

Foto: Edu Deferrari

Músico toca nesta quinta-feira (10) em Santa Maria

Por Márcio Grings

Com mais de 30 anos de estrada, Duca Leindecker tem seu nome reconhecido no cenário musical, seja pelo protagonismo à frente da Cidadão Quem, como também pela parceria com Humberto Gessinger no duo Pouca Vogal, mas principalmente pelo seu legado independente como cantor/compositor. Depois de passar por Caxias do Sul (9), na próxima quinta-feira (10), no Salão de Eventos do Colégio Marista Santa Maria, Leindecker segue seu minitour pelo estado para divulgar "Baixar Armas", novo álbum solo do artista gaúcho que acaba de ser lançado. Após o show no Centro do RS, o músico segue para Pelotas (dia 24 de maio, no Theatro Guarany), Porto Alegre (dia 5 de julho, no Opinião) e Farroupilha (dia 13 de julho). Novas datas da turnê devem ser anunciadas em breve no site www.ducaleindecker.com.br

Em tempos difíceis, envoltos numa realidade cinza, apesar de tanta inflexibilidade e falta de perspectiva, a temática de "Baixar Armas" é ensolarada, e funciona como contraponto artístico aos dias de hoje: "É uma questão de escolha. E é isso que me intriga mais nesses tempos de intolerância. Por que as pessoas chegam ao ponto de desistirem umas das outras? É muito triste. Acredito que sempre exista um caminho. E o caminho é o oposto disso. O caminho é a conversa, a fé no futuro, a dialética", disse em entrevista ao Memorabilia. 

E "Baixar Armas" representa não apenas um capítulo inédito na trajetória de Leindecker, mas também pode ser correlacionado como um subproduto de autoconhecimento e da sua própria experiência: "Acho que tudo vai na direção da maturidade. Porque maturidade é amadurecimento e podemos dizer que já não cozinho na primeira fervura (risos)".  Tomando por base criações anteriores, tanto com Cidadão Quem, quanto com o Pouca Vogal, há espelhamentos, mas ele também encontra novos caminhos musicais. "Acho que tudo é soma. Acredito que sempre criamos algo único por mais que tentemos fazer algo repetido. Tudo que se cria nasce do exato momento da sua concepção e nenhum momento é igual ao outro. Está aí a beleza da vida", diz o artista ao refletir sobre as canções do novo álbum.

Quem acompanha o trabalho do músico, certamente irá reconhecer seu conhecido DNA em canções como "Moinhos Gigantes", "Impacto das Bombas" e "I Love You". Já em temas como ""0x0 Ñ" e "Mais um dia", a alma do guitarrista grita, uma lembrança que por detrás de um cantor/compositor, há também um exímio instrumentista. Assim como o rock ainda fala alto em "Crenças", e até mesmo pode emular um clima mais relaxado na vibe setentista de "Zumbis e Fadas", assim como o folk ressurge em "Espinho e Flor" e "Chance de Gol". Há vários cores e nuanças advindas de diversas cepas nesse novo conjunto de músicas, fazendo de "Baixar Armas" um dos discos mais interessantes lançados este ano no país.      

E o resultado não poderia ser outro, Duca Leindecker cai na estrada com baterias recarregadas e com o espírito leve: "Minha principal motivação é saber do privilégio de viver fazendo o que eu amo. Poder me expressar através da arte", conclui. 

O CD conta com participações de Humberto Gessinger, que toca baixo e assina a co-autoria da canção "0x0 Ñ"; Claudio Mattos (bateria), Maurício Chaise (baixo, guitarra e vocais), Shana Müller (vocais), Mumu (baixo – Vera Loca), Luciano Albo (baixo – Os Cascavelletes, Tenente Cascavel), Veco Marques (guitarra – Nenhum de Nós), Edu Bisogno (teclados – The Hard Working Band), Marcelo Truda (guitarra e co-autoria em Zumbis e Fadas – Taranatiriça), Meco Dutra (baixo) e do produtor executivo Fabio Bolico, que assume as baquetas em "Toda Verdade". Já Duca Leindecker passeia entre piano, violões, baixos, guitarras e vocais.....

Serviço DUCA LEINDECKER com o tour "BAIXAR ARMAS"


Classificação: Livre (menores de 14 anos somente acompanhados de pais ou responsáveis)

Data: Quinta-feira (10)

Horário: às 21h

Local: Teatro Marista, no Colégio Marista Santa Maria (Rua Marechal Floriano Peixoto, 1217 - Centro

Setor
Inteiro
Meia-entrada
Plateia
R$ 80,00
R$ 40,00
Plateia Gold (também dá direito a um CD autografado e bate-papo com o artista durante a passagem de som)
R$ 120,00
--

*Clientes do Clube do Assinante do Diário de Santa Maria têm desconto de 50% 

PONTOS DE VENDA - www.blueticket.com.br - No dia do show, se ainda houve disponibilidade de ingressos, também haverá venda no Teatro Marista, a partir das 17h. Formas de pagamento: Cartões Visa, MasterCard, American Express, Elo, Hipercard e Dinners Club

Comentários

Postagens mais visitadas