Quinta-feira, às 20h, Nocet no Theatro


Nocet, ano passado no Theatro Treze de Maio durante o Sônico Festival. Foto: Fabiano Dallmeyer 
Publicada no Jornal Zero Hora, em 2006, gosto do texto a seguir escrito pelo jornalista Juarez Fonseca, na época em que “Bullets”, segundo álbum da Nocet, foi lançado:

“A expressão que a princípio era uma gíria para designar o ato sexual – rock n’ roll – está impregnada de lascívia, provocação, metáfora e energia. É este conceito que a Nocet, grupo advindo de Santa Maria (RS), continua disseminando como bandeira tremulante ao longo de sua trajetória. O paradoxo da referência está logo aí: cidade com nome de santa, estilo ‘profano’ por natureza. O próprio nome, que vêm do latim, têm na expressão “Quod nocet saep docet” (aquilo que é nocivo, ensina), sua essência. Tradição e transgressão andando lado a lado”, escreveu.

Fundado em 1989, o grupo, prestes a completar três décadas de estrada, permanece como uma das bandas mais importantes do cenário gaúcho ligado ao rock. Quanto aos álbuns lançados, “N”, de 1997, os levou a conquistar elogios da imprensa estrangeira, como Metal Hammer (Alemanha), Rock Hard (Grécia), e Burrn Magazine (Japão). O segundo, “Bullets”, de 2006, ganha no próximo dia 21 de setembro, edição comemorativa de 10 anos em fita cassete! Lembrando o texto do jornalista de ZH, dá pra sacar que a dobradinha tradição/transgressão continua em voga na linha de montagem da Nocet.  

Na contramão das novas formas de ouvir música, a Nocet volta ao k-7 e relança “Bullets” em k-7 (edição limitada de 10 anos).  E por outra via, a banda não esquece dos fãs conectados ao formato digital. Assim, “Bullets” também ganha lançamento digital nesta quinta-feira  (21), em plataformas digitais, entre elas o Spotify,  iTunes, Google Play e ONErpm.

Com distribuição capitaneada pelo renomado Selo 180 Fonográfico em parceria com a Libertália Records , o relançamento em cassete de “Bullets” tem arte redesenhada por Fabrício Soriano, tomando por base as ilustrações originais do projeto gráfico do CD, a cargo do artista gráfico Índio San. Para o show do dia 21, às 20h, no Theatro Treze de Maio, Marcus Molina (voz e baixo), Guilherme Barros (guitarra e voz de apoio) e Fabrício Soriano (bateria), também comemoram 28 anos de atividade. O show no Treze será registrado em áudio/vídeo, material que fará parte de um futuro DVD, além de um cassete inédito com registro ao vivo do espetáculo. Os ingressos para o show “Treze” estão à venda na bilheteria do Theatro e na Rockstar (Venâncio Aires, térreo do prédio da Cacism) – R$ 20 (antecipados, sócios do Theatro e estudantes) e R$ 40 (no dia do espetáculo).

E a Nocet prepara novas surpresas para breve... O espetáculo "Treze" é apresentado por Yazigi Santa Maria. Patrocínio Radiadores Schiavini. Apoio Divina Gourmeteria, Seleta Pizza e Gestores Comunicação. O show foi parte do projeto Treze: o Palco da Cultura, que conta com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura (LIC-SM).  A produção executiva está a cargo da Grings – Tours, Produções e Eventos.

Nocet Treze

– O quê – Show com a banda Nocet
– Quando – Quinta-feira, 20h
– Onde – Theatro Treze de Maio (Praça Saldanha Marinho, s/nº)
– Quanto – R$ 20 (antecipados, sócios do teatro e estudantes) e R$ 40 (na hora)    

Confira teaser do evento.

Comentários

Postagens mais visitadas