MAGICAL MYSTERY: UMA TRIP MÁGICA PELO TERRITÓRIO BEATLE

MM. Foto: Junior Doleys
Texto Márcio Grings Fotos Ana Bittencourt (exceto foto acima)

Já rasguei minha seda valendo algumas vezes por aqui e por onde ando. Bem, e lá vou eu de novo... Posso dizer que já chegando aos últimos capítulos de 2016, quando o assunto é reprisar a obra dos Beatles, é impossível não lembrarmos de uma banda santa-mariense chamada Magical Mystery (MM). Eles, que começaram tocando Oasis e também pagaram tributo a David Bowie, sem dúvida encontraram seu território mais fértil em solo beatle.


E eis que faço meu relato da noite da última sexta-feira (14), logo após o septeto apresentar no palco do Theatro Treze de Maio um novo espetáculo: “Mystery Trip”, uma viagem musical pelas composições dos Beatles lançadas entre os anos de 1965/1970. Vale lembrar que o espectro artístico dessa segunda metade dos anos 1960, compreende álbuns importantes como ”Rubber Soul”, “Revolver”, "Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band", "Magical Mystery Tour", "White Album", "Abbey Road" e "Let It Be". Na formação da MM, nomes conhecidos da cena daqui: Renato Molina (voz e guitarra); Marcus Molina (voz e baixo); Batavo (guitarra e ukulele); Felipe Schroeder (baixo, teclados e voz); Diego Pignataro (teclados, violões e voz); Gilson Lord Tambor (bateria) e Diego De Grandi (guitarra).

Os irmãos Molina. Foto: Ana Bittencourt
Uma das grandes cartadas da Magical ao nos revelar o repertório mais maduro e reconhecido 'artisticamente' dos Beatles, está no fato de que o grupo sai do quadrado de uma formação convencional das bandas de rock. Para isso, eles promovem a ousadia de aumentar o contingente de músicos em uma parte representativa do show, com a adição de Pedro Kaltbach e Alessandra Bassani (violinos), Josias Costa (viola) e Christian Munawek (violoncelo).

Maestro Batavo. Foto: Ana Bittencourt
E o Monstro de 4 Cabeças (como parte da imprensa chamada o Fab Four) é desmembrado no palco da seguinte forma: Renato Molina representa a voz de Paul McCartney, Marcus Molina faz as partes de John Lennon, Diego Pignataro encarna George Harrison e Felipe Schroeder canta Ringo Starr. E há também um bonito jogo de vozes de apoio atuando de forma constante, assim como aconteciam nas canções originais.

Entre os destaques, impossível não mencionar a parte central do espetáculo quando “She's Leaving Home”, “Eleanor Rigby”, “Something” e “I Am The Walrus” levam o acompanhamento do quarteto de cordas. Também é incrível perceber o quanto “If I Needed Someone” caiu bem na voz de Pignataro, fato que ainda me acorda para o quanto canções como essa continuam com um frescor incrível, como se tivesse sido composta recentemente. Do mesmo modo, “Octopus’s Garden” com Schroeder pareando um timbre vocal semelhante ao de Ringo, abre um sorriso no meu rosto. 

Pignataro e Gilson. Foto: Ana Bittencourt
Fugindo do óbvio, gostei de ver algumas releituras apoiadas no ukulele de Batavo, como a versão de “Lucy In The Sky With Diamonds”. Senti falta de algumas canções não tão óbvias como "Dig a Pony", "I've Got a Feeling" e o medley do Lado B de "Abbey Road", no entanto essa minha choradeira é apenas uma sensação que logo evanesce. Isso porque assistir a Magical tocando Beatles é como desejar uma noite sem fim. Em vários momentos lembrei-me do saudoso amigo Saulo Silva e sua Band On The Run, grupo pioneiro nesse tipo de empreitada aqui na cidade (três integrantes da Magical passaram pelo projeto da BOTR). Também é preciso dizer, que há poucos meses, no mesmo palco, uma banda argentina promoveu um especial Beatles que não chegou aos pés do espetáculo de ontem. Se alguém perguntar o motivo desse sorriso bobo no rosto em pleno sábado cinzento, preciso dizer que 'ainda estou contagiado pelo espírito musical da Magical Trip da rapaziada!'.  

Longa vida a Magical!

Schoroeder e Munawek. Foto: Ana Bittencourt
Magical Trip - setlist

1- Magical Mystery Tour (Magical Mystery Tour/1967)
2 - Back In The U.S.S.R. (White Album/1968)
3 - Day Tripper (Single/1965)
4 - If I Needed Someone (Revolver/1966)
5 - Octopus's Garden (Abbey Road/1969)
6 - While My Guitar Gently Weeps (Album Branco/1966)
7 - Let It Be (Let It Be/1970)
8 - Lucy In The Sky With Diamonds (Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band/1967)
9 - She's Leaving Home (Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band/1967)
10 - Eleanor Rigby (Revolver/1966)
11 - Something (Abbey Road/1969)
12 - I Am The Walrus (Magical Mystery Tour/1967)
13 - Come Together (Abbey Road/1969)
14 - Yellow Submarine (Revolver/1966)
15 - With a Little Help From My Friends (Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band/1967) 

16 - Hey Jude (Single/1968)

***

Veja mais fotos de Ana Bittencourt.

Batavo e Molina. Foto: Ana Bittencourt

Batavo e Molina. Foto: Ana Bittencourt

Marcus Molina. Foto: Ana Bittencourt

Diego de Grandi. Foto: Ana Bittencourt

Schroeder e Renato Molina. Foto: Ana Bittencourt

Diego Pignatato. Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt


Renato Molina. Foto: Ana Bittencourt
Alessandra Bassani. Foto: Ana Bittencourt
Alessandra Bassani. Foto: Ana Bittencourt
Foto: Ana Bittencourt

Gilson Lord Tambor; Foto: Ana Bittencourt

Foto: Ana Bittencourt

Comentários

Postagens mais visitadas