RESENHA: “MY MELANCHOLY MOOD”, BOB DYLAN


Dylan, novamente como cantor de standards em seu novo EP
Em primeiro lugar “My Melancholy Mood” é um EP de sobras de “Shadows in the Night”, disco lançado por Bob Dylan em Março de 2015. O álbum teve como premissa um resgate ao repertório dos primeiros anos da carreira de Frank Sinatra. 23 temas foram gravados nos estúdio da Capitol, em Hollywood, local onde “The Voice” gravou os mesmos temas. Em segundo lugar, o EP – que será lançado no próximo final de semana, durante o Record Store Day (somente no Japão) – antecipa o novo trabalho de Dylan, “Fallen Angels”, nas prateleiras em maio.

Leia a resenha de "Shadows in the Night"

Divulgação
“Shadows in the Night”, disco que originou as gravações na Capitol, revelou um artista notório pela sua trajetória como cantor/compositor, não apenas atuando como um mero crooner de standards da música norte-americana, mas evocando um surpreendente intérprete. A marca dessa interpretação redesenhou as músicas, transformando-as em algo dele. 

Como exemplo dessa virtude podemos citar canções como “Stay With Me”, “I’m a Fool to Want You” e “Fool Moon and Empty Arms”. Voltando ao novo biscoito, “My Melancholy Mood” surge como uma première decepcionante de “Fallen Angels”, acenando que o pacote completo será um anticlímax. Provavelmente o melhor das sessões da Capitol, esteja mesmo nas 10 canções emplacadas em “Shadows in the Night”.

Capa do EP

As quatro músicas do novo EP são temas conhecidos no abecedário do cancioneiro pop dos EUA. A faixa título foi lado B de um single lançado por Sinatra em 1939. “All or Nothing At All”, de Jack Lawrence, também foi gravada por Sinatra na mesma época. “Come Rain Come Shine”, de Johnny Mercer, é arroz de festa no setlist de diversos cantores. O EP termina com “That Old Black Magic”, um número popular na orquestra de Glenn Miller, e talvez o momento menos infeliz dessa leva. Na versão de Dylan, a levada de bateria pode nos arremeter a versão de “Rollin’ and Tumblin’” na versão de Elmore James, ou “US Male” de Elvis, no entanto, nem de longe mantém o vigor e originalidade dos temas citados 


No frigir dos ovos, o resultado final de “My Melancholy Mood” parafraseia o próprio título do EP, já que temos a impressão que a piada de Dylan gravar standards perdeu a graça. A banda não brilha percorrendo esse caminho do meio entre o protocolo e a eficiência. E o principal - o homem em frente ao microfone não nos inspira. Se em “Shadow in the Nigh” ouvimos o triunfo do Dylan/crooner, em “Fallen Angels” provavelmente não ficará entre nossas melhores lembranças do Bardo.

Que o ressurja o Dylan/compositor de “Time Out of Mine”, “Love & Theft”, “Modern Times”, “Together Throught Life” e “Tempest” (só pra citar o capítulo mais recente e também vitorioso da sua carreira). Próximo de completar 75 anos, Bob parece que precisa novamente se reinventar.  Sabemos que ele nunca foi um homem de atalhos.  
Divulgação

Comentários

Postagens mais visitadas