sábado, 27 de fevereiro de 2016

YOU CAN'T ALWAYS GET WHAT YOU WANT: FALTAM 4 DIAS PARA VER O SHOW DOS ROLLING STONES EM PORTO ALEGRE

Divulgação
"Lua do Falcão" (Hawk Moon), livro lançado em 1973 nos Estados Unidos, e publicado no Brasil em 1990, pela L&PM, com tradução de Eduardo Bueno, é uma das minhas publicações de cabeceira. No livro escrito pelo ator, diretor, dramaturgo e escritor Sam Shepard, o norte-americano dispara suas referências e confluências com o rock and roll. Entre contos, crônicas e esboços poéticos, Shepard faz referência aos  Kinks, Beatles, Dylan, Who, Little Richard, entre outras bandas e artistas, mas destaco um conto chamado "Wipe Out", onde ele  já avisa: (Para ser lido ao som de "Wild Horses").

Sam Shepard com Patty Smith. Foto: reprodução
Na história,  Sam Shepard nos conta sobre Cobra Moonstar, um personagem decrépito que resolve intensificar sua história de amor com um modelo da marca de guitarras Les Paul. De todo o modo, ao longo da história o escritor cita outra música dos Stones, "You Can't Always What You Want". 

O tema, presença garantida na Olé Tour, foi apresentado como penúltima canção em todas as apresentações na América do Sul. E voltando ao conto de Shepard, nas últimas linhas de "Wipe Out", depois de Cobra Moonstar 'transar' com sua guitarra, Sam cita pela segunda vez a música da dupla Jagger/Richards.
A Lua do Falcão. L&PM

"Então, tudo acabou. Rolou para o lado, sem forças e ficou de costas, ofegante, tentando recuperar o ar. Permaneceu lá encarando o teto por um longo tempo. Então sorriu: "If you try sometimes you can get what you need (mas se tenta, às vezes consegue o que precisa)", contraponto ao título "você nem sempre consegue o que quer"

A música que fecha o álbum "Let It Bleed", foi gravada por apenas três Stones, contando com a ajuda de vários músicos de apoio. Mick toca violão e faz o vocal principal; Keith está no violão, guitarra e vocal de apoio e Bill é o baixista. Na bateria, as baquetas são pilotadas pelo produtor Jimmy Miller; Al Kooper (um dos músicos do time de Bob Dylan) espalha suas mãos no piano e orgão; Rocky Dijon é o percussionista; Madeline Bell, Nanette Workman e Doris Troy estão no time feminino de vocais; com presença do coral da London Bach, dirigido pelo arranjador Jack Nitzsche.

Um clássico absoluto dos Stones.

Nenhum comentário:

Postar um comentário