O QUE VIRÁ DEPOIS DA ÚLTIMA FAIXA DO LADO B?



“Estou esperando que meu caso seja lembrado / E estou esperando pelo renascimento do maravilhoso”.

LAWRENCE FERLINGHETTI


Santa Maria, 04 de setembro de 2015.

Hoje faz 22 anos que meu pai se foi & eu ainda me lembro do velho, todos os dias. Eu ainda estou esperando pela ressurreição dos mortos antes deles desaparecerem das minhas lembranças. Cá estou ainda esperando pela minha vez. Sentado, no fim da fila, com o telefone sem bateria & a caneta rateando no papel em branco. Eu ainda estou esperando pela vinda do Papai Noel & o seu saco cheio de presentes. Quero abraçá-lo como o abraçaria aos quatro anos de idade, antes dos cinco, quando precocemente descobri a farsa do Natal.

Eu ainda estou esperando o chamado de alguém para me mostrar algo de relevante na TV em um domingo à tarde. Todas as noites, um pouco antes de dormir, eu fico esperando a visita de um anjo desaparecido há milênios. Eu ainda estou esperando que algum hijo de la puta se dê conta de toda a presepada que estamos envolvidos & dê cabo de arredondar as coisas. Eu ainda estou ansiosamente esperando que o planeta envergue como vara seca & quebre sua espinha longitudinal bem no meio.

Eu ainda estou esperando que a capa do jornal de segunda revele uma notícia & um sorriso. Eu ainda estou esperando inutilmente pela nova big thing do rock and roll. Na verdade, eu ainda estou esperando o desaparecimento dessas horrorosas guitarras elétricas & suas pedaleiras repletas de efeitos. Eu ainda estou esperando que o divino maravilhoso cantado por Gal se revele na próxima esquina antes de alguém bater com a cara num poste.

Eu ainda estou esperando pelo imediatismo superando a procrastinação. Eu ainda estou esperando que toda & qualquer espera exerça em mim uma expectativa menos pesarosa. Eu ainda estou esperando uma boa surpresa no momento em que abrir a próxima porta emperrada. Eu ainda estou esperando uma ideia genial & arrebatadora de como invadir o Norte antes dos Vikings tomarem conta do continente.

As margens de um rio extinto, eu ainda estou esperando pelos fiéis para dar início à pregação de domingo. Eu, o evangelho & minhas sandálias de couro. Com a arma em punho, eu ainda estou esperando pela nova temporada de caça a terra das oportunidades. Eu ainda estou esperando o convite de Billy The Kid para fazer parte do seu bando de assassinos. Pra causar boa impressão, a primeira coisa que farei é dar um balaço nas fuças de Pat Garret.

Eu ainda estou esperando que o quarto orifício da minha harmônica em B volte a funcionar perfeitamente ao ser aspirado.

Eu ainda estou esperando que o milho cresça viçoso antes dos gafanhotos descobrirem que é maior barbada acabar com o milharal. Enquanto aquele anjo não vem, eu ainda estou esperando a reprise de “Histórias de Fantasmas” na madrugada de sexta pra sábado. Eu ainda estou esperando que o sol produza um arco-íris quando bater nas minhas garrafas vazias no fundo do pátio.


Eu apenas estou esperando o vinil chegar ao fim, olhando fixo para o braço do toca-discos enquanto a agulha se aproxima da última faixa do Lado B. Incursionando pelos sulcos, em instantes, ela vai chegar lá. Enquanto isso cá estou pensando se troco de lado ou de álbum. Não tenho a mínima idéia. 

Comentários

Postagens mais visitadas