Novo livro: O caminho mais longo. Lançamento sexta-feira (27/12), 18h (Athena Livraria).



Bueno, 2013 foi um período intenso. 

Em alguns aspectos, tive um dos piores anos de minha vida. Alterei rotas de voo, cancelei planos pré-desenhados, muitas vezes me autossabotei, fui enganado e enganei a mim mesmo. Toquei em duas bandas, perdi pessoas e me perdi, ganhei experiência, fui desperdiçado e desperdicei muitas coisas. Amei e fui amado. Experimentei, aprendi, me debrucei irresponsavelmente na janela do trem #MidnightTrain. Vi o sol ardendo em chamas, espiei a lua cheia por entre as frestas dos pinheiros. Desacortinei o júbilo, me arrependi mil vezes e vivi a mil por hora como se esses doze meses fossem os últimos da minha existência.  

Parece que não foi. 

Não sem antes deixar uma marca, fui descartado como jornal velho, para logo depois descobrir outras brechas, e só assim, pude avistar novos horizontes. Lancei um livro em maio (Drive-in) e encerro o ano com uma nova publicação, a sexta em 11 anos. Dá pra dizer que apesar de constantemente nadar contra a correnteza, algumas conquistas precisam ser pontuadas. 

Sim, há motivos para celebrar. Para isso, faço minhas as palavras do amigo Elmo Kohn. 

Diga lá, Mister! 

"Depois de “Drive-in”, livro lançado na última Feira do Livro de Santa Maria, Márcio Grings, autor santa-mariense de 43 anos coloca na roda sua nova publicação. Trata-se de “O Caminho Mais Longo”, uma coletânea de 46 crônicas que foram publicadas ao longo de dezesseis meses (2012-2013), sempre as sextas-feiras no Diário de Santa Maria, época em que o autor atuou como cronista do jornal. 

Suas histórias falam de temas comuns a todos nós: - angústias, alegrias, um previsível gosto pela nostalgia, o contraditório flerte com a tecnologia e a vida na cidade. Muitas crônicas versam sobre o tempo, solidão, a assumida inaptidão em vivermos sozinhos, a inabilidade com afazeres domésticos, a peculiar relação entre pai e filho, a contemplação da natureza e a busca por uma vida simples. 

Também estão lá textos que exploram o amor, a amizade, o vai e vem dos relacionamentos, o movimento das estações, a sensação (imaginária ou não) de deslocamento, sonhos e pesadelos e reflexões sobre dilemas da humanidade. E claro, além das citações literárias, das pinçadas pelos filmes, a música é borrifada incessantemente pelas páginas de “O Caminho Mais Longo”. Bandas ou artistas como Bob Dylan, Neil Young, Gram Parsons, Rolling Stones, Crosby Stills and Nash, Tim Hardin, Willie Nelson, Grateful Dead, Pink Floyd, entre tantos outros, fazem a trilha sonora do livro. 

“O Caminho Mais Longo” será lançado no próximo dia 27 de dezembro, 18h, na Athena Livraria. Além de “Drive-in”, Grings já lançou “A Nós, o Clube dos Descontentes” (2009), “Vivendo À Sombra dos Gigantes” (2006), “Rock & Roll” (2004) e “Saindo da Linha” (2002), como também organizou e participou da coletânea “Santa Invasão Poética” (2003). “O Caminho Mais Longo“ é uma publicação independente capitaneada pelo Blog Memorabilia em parceria com a Athena Livraria".

A diagramação do novo livro é de Paulo Teixeira. Sílgia Shimidt fez a revisão final das crônicas. As fotos são de Fabiano Dallmeyer, Lauro Alves e Janaína Falcão. O prefácio teve a mão e o olhar da estimada amiga Haydée Hostin Lima. A editoração gráfica é da Pallotti.

Espero os amigos.

Essa música tá no livro.

    

Comentários

  1. Parabéns Marcio! Estarei la para a apresentação do teu mais novo filho... que com certeza não será o último.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas