sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Eu e Santa Maria

Foto: João Gabriel

Crônica #62 publicada no Diário de Santa Maria 27/09/2013 | N° 11801



Muitas vezes pensei em ir embora de Santa Maria. Sabe aquele sonho de partir em busca de uma nova Terra das Oportunidades? Nunca saí. De alguma forma ou outra eu me movimento por essas esquinas e quebradas há mais de quatro décadas. Conheço cada palmo dessa província de chão batido, paralelepípedos e asfalto. Sei o nome das ruas, conheço o cheiro dos lugares e identifico grande parte das pessoas com quem cruzo no dia a dia. Já contei os ladrilhos da calçada da minha infância na Pedro Gauer, atravessei a Presidente rumo a Alceu Valmose, próximo ao Cemitério Municipal. Joguei bola no antigo campo do Mallet, brinquei de trabuco em um terreno baldio na Av. Liberdade, joguei bolita na Lucídio, levei um “corridão” do Pinduca e da Gang da Quitéria. Tomei um soco do Adriano em frente ao açougue do seu Osvaldo, na Silva, rodei na sexta série do Colégio Fátima e arrumei uma namorada na época do Cilon.


Comecei a forjar minha identidade na Independência, fiz lenha com cadeiras da cozinha do Marco e alimentei a lareira da sua casa só pra ver o fogo brilhando no escuro. Ao seu lado, conversando por horas e horas, tomei vinho tinto barato nas madrugadas insones ouvindo Jethro Tull e Chico Buarque. Vi o show do Alceu Valença no estádio do Riograndense, cantei Volver a los 17 com Mercedes Sosa na Estância do Minuano – e, bebum, eu apaguei feio em uma barraca minúscula na Tertúlia de 1987. Em um sábado à noite, vi A Bruxa no ATC, e no domingo, tomei banho de serra no Pinhal. Quando Gavião fundiu o Alfa Romeo, eu estava na carona do automóvel.


Foto: Guilherme Escosteguy
Vendi discos no Bobbysom, loquei fitas na Da Cás Vídeo, fiz programas de rádio, toquei com minha banda na Vila Gastronômica, Vila Belga, Zeppelin, Boteco do Rosário & outros lugares e bares. Falando de mim, tenho certeza, muitas pessoas irão vislumbrar traços de si próprios. Já perceberam como a história se apaga ao não resgatarmos nossas lembranças? Essa galeria na memória precisa ser alimentada. Faça um exercício e tente se lembrar de aquilo que aconteceu na sua vida por esta terra. (sem ordem cronológica).

Tenho certeza, muitos resquícios de épocas vividas serão ressuscitadas.


Da mesma forma que continuo vendo o fantasma do meu pai caminhando pela velha oficina da Venâncio, muitas vezes ainda ouço o ronco da Brasília azul do Xandoval em frente ao portão de casa. Parece que foi ontem que Teco passava com seus bolachões debaixo do braço, instigando minha imaginação. Não sei por que, acordei saudosista, me lembrando de coisas como essas que contei. Existem outros tantos relatos, alguns impublicáveis, provavelmente até mais interessantes, no entanto, destinados a figurar apenas como histórias orais em algum lugar dessa cidade.


Viver e morrer em Santa Maria, talvez seja esse o meu destino. Cansei de olhar para o horizonte em busca das Terras do Leite e do Mel, miro os olhos para o céu da Depressão Central e vejo nuvens de algodão se encaixando no quebra-cabeça do firmamento. Mesmo assim, gosto de me imaginar em outros lugares. 

Insisto...

Foto: Guilherme Escosteguy

2 comentários:

  1. Bela crônica como sempre excelente colega blogueiro!! Olha só cresci no bairro Perpétuo também tchê. Além disso morei na própria Pedro Gauer e minha famíla toda ainda mora lá porém hoje em dia um pouco mais para cima no bairro do Carmo ao lado da histórica Chácara das flores. Com minha formação concluída mudei-me para Floripa onde vivo à 4 anos. Naturalmente acompanho seu trabalho da época da rádio Itapema S.Maria, (hoje sei que extinta) mas meu e-mail não se resume a apenas estes detalhes nostalgicos rsrs. Mais escrevo para te comunicar que trabalho atualmente com novas mídias digitais da web e fiz um prospecto pesquisando um número muito grande de Blogs pelo Brasil e enfim os teus (tanto o da pág. Itapema FM quanto o Memorabilia) possuem um conteúdo riquíssimo em cultura pop isto é fato comprovado aqui em SC (saibas que a catarinada está adorando parte de tuas publicações). Atualmente estudo T.I na UFSC e sempre que posso compartilho com a "galegada" daqui. Portanto incluí teus Blogs em minha lista de seguidos dentro da New interface Google's e é claro de minha parte seria uma honra compartilhar material ainda que seja uma pequena parte. Ademais um forte abraço e muito obrigado por manter os "gaúchos do mundo" sempre conectados com a nossa querida S.Maria. Até uma próxima.

    ResponderExcluir
  2. Bela crônica;
    melancólica... emocionante...
    Fez pensar (e viajar no tempo) mesmo.
    (Eu já fui, já voltei; já fui, já voltei... provavelmente irei ainda de novo um dia... mas certamente voltarei.)
    Abs
    Diego
    diegohahn@hotmail.com

    ResponderExcluir