sexta-feira, 8 de março de 2013

A garota do skate



Crônica #34 publicada no Diário de Santa Maria 08.03/2013 | N° 3395


A caminho do trabalho, você está sentado na segunda poltrona em frente à roleta do ônibus. Dali, você observa aquela menina que se aproxima da catraca. Aquela jovem deve ter uns 16 ou 17 anos. Ela é muito bonita e tem cabelos longos. Usa uma camiseta com o rosto de Marlon Brando no filme O Selvagem. Trata-se da famosa imagem do ator com boina e cara de contraventor. Sobre a t-shirt, um colete jeans esfarrapado. Ela usa uma calça justa desbotada e um tênis preto com cadarços azuis. Sabe, a menina dá os ares da atriz Keira Knightley, caso ela tivesse os cabelos escuros. Nada de inusitado nessa imagem se não fosse o que ela trazia debaixo do braço direito. Não havia livros ou uma bolsa. Nossa Keira levava um skate a tiracolo. Okay, talvez você esteja sendo preconceituoso nas suas conclusões, mas, afinal, essa ainda é uma imagem muito vinculada à garotada do sexo masculino.


Após pagar a passagem, ela sentou no banco a sua frente e começou a bater papo com o cobrador. Você não pode deixar de ouvir:

Menina: “Estranho, né?”

Cobrador: “O quê?”

Menina: “Uma garota com um skate”

Cobrador: “É. Realmente não tinha visto ainda”.



E aí, a conversa prosseguiu. Aquela “mulher” atraente que você tinha visto alguns minutos antes, em poucos instantes se transforma numa garotinha. Para confirmar a desconfiança, ela tinha uma vozinha infantil. Durante a conversa, com todos os detalhes, Keira começou a contar o que iria fazer do seu dia ao cobrador – e, consequentemente, confidenciou isso a todos a sua volta. Essa breve história exemplifica como as aparências enganam. Em poucos instantes, houve uma desconstrução de um suposto personagem cinematográfico. Claro que você está sendo cruel. Afinal, como esperar maturidade de uma menina dessa faixa etária?


Enfim, que mal há em alguém tão jovem, do sexo feminino, curtir um esporte radical? Você ficou imaginando a garota fazendo manobras com seu skate e arrancando suspiros da molecada. Lembrou de quando tinha 15 anos e pediu um skate de aniversário? Sua mãe nunca permitiu que isso acontecesse. Afinal, a experiência com um simples carrinho de rolimã já havia gerado uma série de escoriações pelo seu corpo. “Imagina o que aconteceria com um skate”, defendeu-se sua mãe. Essas meninas de hoje, tão jovens, conseguem fazer o que você nunca conseguiu na idade delas.

Pode escrever: as mulheres ainda vão tomar conta do mundo. E tem mais, muitas vezes é o friozinho na barriga que as atrai. E não será alguma possível escoriação ou uma queda inusitada que as fará brecar o acelerador. Como menina Keira e seu skate, que, nesse momento, deve estar esvoaçando os cabelos longos ladeira abaixo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário