Então é isso... Huuuuuuuuummmmmmmmm


Dificilmente disputaria uma briga de foice pantanosa & travada de chispas como essa. Deus! Provavelmente tiraria o corpo fora entre o Miss(i)ssipi & a Louise(&)Ana. Não sei como mas ainda tôo por aí. Vi o novo mapa mundi desenhado por um louco que recebeu a luz divina & olhem só: trago boas novas! Parece que existem grandes possibilidades de um cara indeciso como eu sobreviver & conseguir um emprego nesse tal mundinho pós-escrofuloso que tá vindo a reboque. É difícil dizer o significado de tudo aquilo que inconscientemente escrevo ou digo ou faço sem a mínima fração de temor em detonar o planeta & a paciência de muitos com tanta aporrinhação de saco. Parece ½ obtuso de minha parte, mas pode acreditar: é uma espécie de fluxo maluco que sangra como uma ferida aberta no espírito & segue derretendo toxinas pelos quatro cantos de qualquer ilusão. Já viu um ovo choco furado vazando clara & gema & mau cheiro pelo chão? Um daqueles acidentes de percurso que aconteceram quando piscamos os olhos por um segundo e... BOOM!!!


O guarda-freios não viu nada & agora entendo esse reflexo de sol esquisito que incomoda quando estou de mau humor o tempo todo acendendo o pisca-alerta & a luz de emergência. Talvez seja pelo fato de estar sóbrio a essa altura da manhã empedrada de matizes & bolor. Nunca responderia um pergunta dessas! Imagine então o vácuo do universo apitando na cara do cara & ainda fazendo vapor a embaçar qualquer discurso de defesa antes de relatar ao novo presidente que é um absurdo alguém dizer que faz isso ou aquilo de forma premeditada! Afinal, o que adianta ter uma conta bancária & uma carteira repleta de passes que não servem pra nada. A única compra-passaporte-de-prazer-instantâneo é um livro secreto prestes a ser devorado da primeira a última linha. É esse é o verdadeiro fim da linha. O fio da meada enrola na minha forma de pensar & sempre soube que (as vezes) comer não passa de algo supérfluo. Dormir pouco é o segredo da iluminação instantânea que nunca bate na porta antes de sentir o gosto do mingau de sarjeta daqueles dias que vieram quadrados. Nunca tive nenhuma vontade de queimar os neurônios ou os papéis de rascunho que esqueletaram histórias ainda não escritas & contadas como desejos secretos.


Tudo não passa de conversa fiada & pasto vitaminado pra otário dormir antes que o sono dê o bangornaço final. As respostas ainda não foram escritas na lápide de Sidarta que foi roubada sem nunca ter existido. Moisés não nos disse nada & nunca mais dirá coisa nenhuma. Algumas revelações não poderiam ser reveladas. Lembro dos ratos fugindo dos homens como perguntas precisando cessar antes que outro dique venha abaixo. Necessito urgentemente entender o espírito dessa coisa chamada fluxo maluco que afunda como uma adaga afiada cruzando meu peito & fazendo sangrar a ferida aberta em meu coração que ainda não foi enterrado na curva de nenhum rio poluído. É pouco. Praticamente nada. Ouço o apito do trema da 1/2 noite chegando atrasado as 03:29 da matina. Agora posso deitar na cama. Dormir é outra história...

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas