Do jeito que dá

Ilustração: Vitor Cesar Vareiro

“Eis que farei de ti um trilho novo, que tem dentes agudos; os montes trilharás e moerás; e os outeiros tornarás como a pragana”. Isaias 41,15

 

É aquele lance de sempre tentar fazer a coisa certa. Por princípios tentar ser um bom homem. Quem sabe trilhar o caminho de muitos homens comuns. Quem sabe... Mas se você possui uma máquina potente dentro da sua cabeça, esse motor cerebral o faz acelerar contra parede. Você pisa fundo em busca da velocidade. Faz tempo que descobriu a grande farsa da humanidade. Apesar disso, você se sente suave. Não, você não é uma rocha & seu coração vibra. Você sente-se faminto. Infeliz porque sabe que não chegou lá. Longe disso. Na verdade você não tem do que se orgulhar. Não existem indicadores absolutos de nada em seu futuro. Você é um produto do meio em que vive. Às vezes é difícil sentir as coisas e ter prazer com elas. É difícil conviver com esse desespero silencioso. É barra barrar o som que vem de dentro do sonho. Parece que tudo segue batendo no limite. Será que sua mão perdedora está apostando nas cartas certas. Ouça o sermão do pregador no púlpito. Você precisa aprender a ter paciência com as máquinas. Com sua percepção de cão você vê o paraíso logo ali. Você sente o cheiro das pessoas através das canções que ouve. Veja! Há luzes, cores & um traço luminoso bem no meio. Você está afetado pelo movimento das coisas. As frases que um dia disse & ouviu cruzam o tempo todo em algum lugar dentro de você. Há um eco de sons familiares reverberando. Indo além. Indo a forra de tudo aquilo que você quis fazer & nunca fez. Você perdeu a fé em suas orações & agora segue a revelia pelo ar rarefeito da memória. O espantalho diabólico o assombra lá de cima como um amuleto pendurado no céu. O pardal foi abatido em pleno voo. Vendo de longe parece que ainda respira. O braço fraqueja mas ainda há forças invisíveis o empurrando do jeito que dá. De um lugar qualquer você grita: “Estou à mercê do caos em mim / oh ave Maria / livra-me e tem piedade de mim. Proteja-me com tuas gigantescas asas mornas". Amei...

Comentários

  1. Tô invadindo o teu blog prá dar um abraço e um grande 2009
    Gilmar Niederauer

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas