O Homem Elétrico

Eu sou um homem elétrico. Um fodido de um sensitivo. Um cara que sempre amplifica as coisas de uma forma toda sua. Eu sou cheio de ramificações venosas, inundado de novas amplitudes e modulações. Um simples gesto... ganha dimensões de obra prima frente aos meus olhos mambembes. Mas tenho uma explicação pra tudo isso! Existe uma droga que uso todos os dias. Não é nenhum segredo. Veja bem, essa droga tem o poder de me deixar nas nuvens, de me manter sempre ligado, enfim, elétrico! Quer saber que droga é essa? Ta bom, eu vou te dizer. É a poesia. Eu detesto poesia. Poesia é a minha maldição. Ela me deixa eufórico & com as pupilas dilatadas. A poesia cola no meu pé & não me larga nem a pau! Quer saber como a coisa funciona? Vou explicar: Imagine uma lupa dentro da cabeça que dimensiona qualquer tipo de sonho ou ilusão.  Sempre deixando tudo bem maior que a realidade... Uma vitamina doida, que transforma mínimas percepções em poesia barata. Um misto-quente de dor, prazer, amor, alegria e desilusão. Exemplo - Hoje de manhã até que acordei legal. Mas foi só eu me olhar no espelho, pra sacar que alguma coisa não ia bem: os meus olhos castanho claro ficaram verdes, verdes como um riacho que corre fúlgido entre as sombras. Os meus olhos estavam loucos, loucos como um bicho enorme com as asas quebradas. Os meus olhos estavam tristes, tristes como uma despedida anunciada pelo telefone. Eu gosto de maças, devorei uma imensa maçã antes de começar o meu dia de trabalho. Toda vez que eu mordia aquela fruta, eu ouvia o som do mar, eu via as ondas tocando uma ponta do céu, sentia o gosto do sal diluído na minha língua. Eu sou um homem elétrico. Tenho fios desencapados por várias partes do corpo. Esses fiapos de fogo machucam muita gente boa. Soterram conexões. Tinge de vermelho tudo aquilo que não tem brilho. Ah, e quando eu tenho pela frente algo realmente belo, esplêndido, desafiador... é aí que o leão abre a boca & ruge. Um Choque anafilático de dor & prazer. Eu sou um homem elétrico. Tenho a velocidade do Surfista Prateado. Sou mais barulhento que uma Fender Stratocaster na mão de um guitarrista ruím. Eu tenho a potência de uma usina nuclear do som. Sou o botão que aciona a bomba atômica da palavra. Eu sou o Bobo da corte com as chaves da Hidroelétrica da ilusão. No picadeiro, sou eu o palhaço que caminha sozinho com um balão colorido. Eu sou o cavaleiro elétrico que vai & vem 24 h por dia. Quando eu durmo, sonho. Quando eu sonho, não descanso. Eu sonho o descanso de estar desligado. Quem sabe parado num canto sem fazer nada. Queria mesmo é descobrir o prazer onde os homens comuns o encontram. Encontrar a paz. Eu sou o homem elétrico. Lanço fogos de artifício quando falo do que gosto. Infelizmente essa é a maneira que eu levo as coisas. Eu sou amigo do fogo. Primo irmão de vento. Neto de uma tempestade elétrica que varreu o mundo há séculos. 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas