Mês do Rock: Black Rivers e Rainha de Maio estreiam no palco do Vaca Profana

Rainha de Maio. Foto: Divulgação
#
Evento no bar começa nesta terça-feira (4)

O projeto Mês do Rock, uma iniciativa da Grings - Tours, Produções e Eventos, com recursos captados via Lei de incentivo à Cultura de Santa Maria, fará de Julho o mês mais roqueiro do ano na cidade localizada na Região Centro do RS. Nos próximos dias 15 e 16, treze bandas tocam na Praça Saldanha Marinho, e a cada terça-feira do mês de julho, oito bandas se revezam no palco do bar Vaca Profana (Rua Serafim Valandro, 536). Além de som ao vivo dos grupos, dez oficinas serão realizadas no Sobrado Centro Cultural, na sede da TV OVO (Rua Floriano Peixoto, 267), e um Workshop de bateria será realizado na Musiartes (Rua Astrogildo de Azevedo, 91).

Black Rivers. Divulgação
E a estreia no Vaca Profana será na próxima terça-feira (4) com duas bandas: Black Rivers e Rainha de Maio, com início previsto para às 22h. A noite começa com a rapaziada da Black Rivers, banda formada em em 2009, e que desde o início da sua jornada foca suas energias no som autoral. A inspiração se ampara em bandas clássicas dos anos 1960/70, além de fincar terreno no stoner rock. Em 2012 colocaram no mundo o EP de estreia " Rock Etílico Vol.1". Na sequência, com produção de Mumu Bortholuzzi, o quarteto gravou quatro singles em um estúdio da Capital gaúcha. Já no ano passado, a banda registrou o single "É isso que eu vou fazer", faixa que teve produção de Leo Mayer. Além dessa atividade nos estúdios, a Black Rivers começa a circular por festivais independentes do RS como Rock in Julio, Pampa Stock e 3 barras Underground Festival. Na formação, Bernardo Jornada (baixo e voz), Cristiano Delevatti (guitarra e vocais de apoio), Leonardo Bem Antolini (guitarra) e Eduardo Rios (bateria).


E quem fecha a primeira noite de Mês do Rock no Vaca Profana é a Rainha de Maio, grupo formado em 2010 (na época conhecido como Headstock) que começou sua trajetória relendo repertorio de outras bandas, especialmente material do Creedence Clearwater Revival. Após troca de vocalista e breve hiato nas apresentações, em 2016 a nova formação vira a página do cover e apresenta seu trabalho autoral. Agora como Rainha de Maio, nome inspirado em personagem de um poema do ocultista inglês Aleister Crowley, o quarteto formado por Arthur de Oliveira (voz e violão), Matheus Frigo (guitarra), Ricardo Bortoloto (baixo) e Felipe Forgiarini (bateria e voz de apoio), busca sua inspiração no hard/heavy dos anos 1970/80, mas também aposta em misturas com outros gêneros. Entre os destaques, temas como a "Pseudo Groove" e "Santa Maria Blues".

As próximas bandas a se apresentarem no Vaca Profana são Triturador e Aurora Dark (11/7); Saga Rock e Falcony (18/7) e Marcelo Demichelli e Gafe de Fraque (25/07). O ingresso custa apenas R$ 10. Pylla Kroth, artista homenageado no Mês do Rock 2017, ao lado da C14 se apresenta no mesmo Vaca Profana (no Dia Mundial do Rock, 13 de Julho).

Abaixo, confira um tema de cada atração na noite de estreia do MDR no Vaca.  

#

Comentários