2º Rock'n'Blues Food Station - dias 1°, 2 e 3 de Fevereiro

Arte: Pablito Diego/Há Cena 
O 1º ROCK''N'BLUES FOOD STATION aconteceu nos dias 1º, 2, 3 e 4 de Novembro de 2018, no pátio interno do no Neo Autoposto (Avenida Dores, 454, rótula do Fórum). Montado como espaço de entretenimento, o público pode usufruir de opções de alimentação - com foco em comida de rua, além de cervejas artesanais. Como trilha sonora, apenas uma modalidade específica de entretenimento: boa música. No caso, muito blues e rock'n'roll! Essa reunião de forças entre food trucks, somada a importantes marcas de bebida artesanal, aliado a um casting de bandas/artistas locais envolvidos com a cena musical, fizeram do ROCK''N'BLUES FOOD STATION. Segurança, estacionamento, banheiros, loja de conveniência e toda infraestrutura para o bom funcionamento das ações do evento. Nos intervalos entre as apresentações, a seleção musical ficou a cargo de Márcio Grings (Memorabilia).

E repetindo a fórmula, nos próximos dias 1º, 2 e 3 de Fevereiro, ocorre a 2º edição do ROCK''N'BLUES FOOD STATION. A realização é do Neo Autoposto com cobertura, produção de palco e assessoria de comunicação da Grings - Tours, Produções e Eventos e Há Cena Cultural.  

Confira a grade de atrações dessa 2ª edição do RBFS:

☆☆☆☆☆

Sexta-feira, 14

19h - Pablo Pohlmann

Pablo Pohlmann. Divulgação
Pablo Pohlmann é um dos nomes atuantes da cena roqueira do Centro do RS. Na paleta de cores – country, rockabilly, hard rock, releituras dos maiores clássicos do rock nacional/ internaciona e canções de sua autoria. Atuando em bandas diversas, já gravou CDs e EPs. Prestes a pegar a estrada para um minitour no Uruguai, Pohmann acaba de lançar “One heart, two hands and six strings”, seu primeiro EP solo, que será lançado no evento. 

21h - Chezz 

Chezz. Foto: Lennon Scharvcs






O RBFS tem o orgulho de apresentar a Chezz. Inspirada na tradicional gravadora de Chicago, um dos berços da música negra norte-americana, a Chezz rememora a raiz blues e sua emancipação na criação de outros subgêneros, como o jazz, o r&b, o soul e o funk. A aliteração no nome (CHEZZ com dois zês) dá a dica de que o sumário de interpretações do grupo desconstrói as linhas divisórias. Sustentando sonoridades em fusões originárias, a Chezz traduz a intenção de reviver uma época de ouro da música mundial.      

Sábado, 15

17h30 - Felipe Quadros

Felipe Quadros. Foto: Pablito Diego/Há Cena

Felipe Quadros volta ao palco do RBFS. Além de ser um dos novos prodígios surgidos nos últimos anos em Santa Maria, o integrante da Pie Country Band também toca em diversos projetos, ao lado de nomes como Diego Lopes (Acústicos & Valvulados), "Mumu" Bortholuzzi (Vera Loca) e Márcio Petracco (TNT). Nas apresentações solo - voz e violão - Felipe apresenta releituras para clássicos do rock, folk, blues e country, apostando sempre em surpreendentes versões com uma carga sensível e intimista.   

19h - Guilty


Guilty. Foto: Antônio Monteiro



A Guilty fixa sua âncora no rock/pop internacional dos anos 1980/90, propondo um repertório versátil e repleto de hits impregnados no inconsciente coletivo do público radiofônico. Nada impede que essas amarras sejam soltas e o repertório passeie por canções de Janis Joplin para em instantes revisite um sucesso de Michael Jackson. Diversão e animação garantida na segunda edição do RBFS. 

21h - Kingsize Blues

Kingsize Blues, 3 de Novembro, na primeira edição do RBFS. Foto: Mauro Castanho




O Rock’n’Blues Food Station teve a honra de promover a estreia da Kingsize Blues, super quarteto formado por veteranos da cena blueseira local. Assim como nas duas apresentações em novembro passado, a banda volta ao evento para repassar standards e clássicos do gênero, além de releituras  de grandes nomes do blues. E claro, chance de conferir um grupo de músicos que gosta do improviso, utilizando essa fórmula como permanente modus operandi de suas atuações no palco.

Domingo, 16

17h - Fabricio Furia

Fabricio Furia. Divulgação











Fabricio Furia trabalha há mais de 25 anos como músico. Já atuou em Florianópolis, viajou pela Europa, fundou, gravou e cantou em diversas bandas de metal daqui e de fora do RS, com destaque para a Spit, seu grupo mais recente. Como artista solo, voz e violão, busca conexão com o rock internacional, repaginando clássicos dos anos 1970/80/90. E claro, sem deixar de lado temas do Pink Floyd, uma de suas maiores paixões, elevada a potência máxima quando está a frente do Crazy Diamonds, banda tributo em homenagem ao legado do Floyd.   

19h - Ruby Tuesday


Ruby Tuesday. Divulgação


A Ruby Tuesday não apenas se inspira numa das canções mais célebres do repertório dos Rolling Stones. A viagem começa pelos anos 1960 e avança pelo repertório de uma das cultuadas de todos os tempos. No setlist, sucessos e Lados B das seis décadas de atividade dos ingleses. Do período inicial com Brian Jones, a fase de ouro com Mick Taylor, chegando até os dias atuais.     

20h30 - Pie Country Band 

The Pie Country Band. Foto: arquivo pessoal 



A Pie Country Band acaba de lançar seu mini-álbum homônimo de estreia. A vereda dessa rapaziada leva até o espírito da música country de raiz, uma escolha que nos assombra com a fidelidade em que o grupo repassa essa intenção. Além das músicas autorais, chance do público do RBFS ainda conferir releituras de clássicos do gênero. Numa época em que as boas canções e melodias parecem ter desaparecido do planeta, eis uma banda que merece ser descoberta.  

Comentários

Postagens mais visitadas